Foto: Jhonatan Coppini/Oeste Mais
  • Compartilhe no Facebook

Foto: Jhonatan Coppini/Oeste Mais

O mistério em torno do osso localizado na manhã desta quarta-feira (20), no terreno do Cras (Centro de Referência de Assistência Social) em Ponte Serrada, Oeste de Santa Catarina, foi esclarecido. De fato, o resto mortal é da Irmã Marilene Pereira de Souza, religiosa que por muito tempo trabalhou no município. A confirmação foi dada  pela ex-secretária de Assistência Social do município, Francinara Magrini Ferreira (Nara).

+ Osso, supostamente de uma freira, é localizado em jardim

Segundo ela, a própria família da religiosa encaminhou o osso para ser enterrado no local que leva o nome da irmã. O local onde o material foi encontrado fica na Cidade da Criança Irmã Marilene Pereira de Souza, junto ao Cras. Funcionárias e alunos da unidade acabaram desenterrando-o acidentalmente enquanto escavavam para fazer uma horta no local. O osso foi entregue à Polícia Civil de Ponte Serrada. Com o fato esclarecido, o material deve voltar a ser enterrado no local onde estava.

O corpo da religiosa está sepultado em Petrópolis, no Estado do Rio de Janeiro. Uma amiga de Irmã Marilene, Odete Chinatto, contou à reportagem do portal OesteMais que foi visitá-la enquanto ainda estava enferma. A ponteserradense lembra que cerca de um mês depois do encontro, recebeu a notícia do falecimento da irmã, que tinha aproximadamente 75 anos. Durante a visita à irmã, Odete ficou três dias hospedada em um convento no Rio de Janeiro. Ela lembra que a freira precisava de um transplante de coração, mas também havia a suspeita de que estivesse com câncer. A moradora ficou surpresa ao saber do resto mortal encontrado no município, revelando desconhecer a história.