Os jovens Camila Crisley dos Santos Ortiz, 18, e Juliano Cesar Alves Oliveira, 22, foram encontrados mortos na manhã de ontem (01), em Curitiba. A suspeita é de que o rapaz tenha matado a companheira com um tiro na boca e depois atirado contra a própria cabeça. O crime aconteceu no bairro Ganchinho em Curitiba, onde o casal morava há cerca de três meses, juntamente com a família da moça, após terem saído de Palmas, sul do Paraná, para tentar a vida na capital. O corpo da jovem está sendo velado em Curitiba, enquanto que o de Juliano, será enterrado no município palmense.

Segundo o pai de Camila, José Carmo Ortiz, o casal chegou em casa por volta das 05h e após uma discussão, foram dormir. Já por volta das 06h, a irmã da jovem, ao entrar na residência, encontrou os dois mortos no quarto. Ao lado da cama, foi encontrada uma solicitação de exame de gravidez. Segundo o pai da moça, Juliano, que já possuía passagens pela polícia por tráfico de drogas, estava trabalhando na coleta de lixo reciclável e disse não saber que o genro tinha uma arma em casa. Afirmou ainda que a filha estava grávida de dois meses.

Nos trabalhos de perícia, duas cápsulas de pistola .40 foram encontradas, porém, a arma não foi localizada. Segundo a Polícia, familiares, vizinhos e curiosos entraram no local do crime. Outro ponto a ser investigado é que vizinhos relataram ter ouvido os disparos, no entanto,estranhamente, o pai de Camila, que dormia no andar debaixo, e os irmãos que dormia no piso de cima e ao lado, disseram não ter ouvido nada. Segundo informações de vizinhos ainda, o casal fazia uso frequente de álcool. A Polícia descartou a hipótese de uma terceira pessoa envolvida e segue na tentativa de localizar a arma utilizada no crime.