Quem deseja começar o ano de carro novo irá pagar mais caro com a volta da “alíquota cheia” do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Automóveis com motor de até 1 litro passarão a ter um imposto de 7% ao invés dos 3% aplicados até o dia 31 de dezembro.

A alíquota dos veículos flex com motor entre 1 e 2 litros, aumentou de 9% para 11%. Para os carros com a mesma motorização, mas movidos somente à gasolina, tiveram um aumento de 10% para 13%. Carros com motores acima de 2.0 não tiveram desconto no IPI. Já os utilitários sofreram a elevação de 3% para 8%. Com o imposto cheio, o preço dos veículos aumentará, em média, 4,5%, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O aumento no IPI já havia sido anunciada pelo então ministro da Fazenda, Guido Mantega, em novembro do ano passado.

Apesar de já estar em vigor, o aumento poderá demorar para chegar até os compradores, visto que as montadoras ainda têm veículos em estoque, ou seja, carros que foram faturados com o desconto no IPI.