Será votado, na próxima segunda-feira(18) pela Assembleia Legislativa do Paraná(ALEP) o Projeto de Lei (374/17) que concede ao município de Palmas,  o título de Capital Estadual do Frio e da Maçã.  O autor do projeto é o Deputado Estadual, Nereu Moura(MDB).

  • Compartilhe no Facebook

Nereu Moura assinou, em 2014, a Carta de Palmas, com proposições e reivindicações de 37 entidades.

Na justificativa, o parlamentar apresenta dados do Departamento de Economia Rural(DERAL) e referenciais climáticos, históricos, científicos e reportagens. O objetivo é proporcionar desenvolvimento social e econômico a partir do marketing turístico.

A votação ocorrerá após parecer técnico do Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), que reconheceu o município palmense como o mais frio do Estado.

+ Simepar reconhece: Palmas é a mais fria do Paraná

Dois projetos semelhantes tramitaram na Comissão e Constituição e Justiça(CCJ). Um foi apresentado em maio do ano passado pelo deputado Professor Lemos,  propondo ao município de General Carneiro, o título de capital paranaense do frio; e outro, apresentado três meses depois, por Nereu Moura, que propunha a honraria a Palmas.

Para não haver dúvidas, os parlamentares solicitando ao Simepar um parecer técnico. A resposta oficial foi lida na Comissão de Constituição e Justiça, informando que Palmas é, historicamente, mais fria.Seguindo os trâmites, o projeto palmense chega ao plenário da Assembleia e, se aprovado, seguirá para a sanção da governadora do Estado, Cida Borghetti.

Maçã

Consta do Projeto de Lei do peemedebista  que  Palmas também é maior produtor de maçãs do Paraná,  responsável por 28% a 30% da produção estadual, com média anual de 13,5 mil toneladas.  Na época da colheita, entre janeiro e abril, são empregados diretamente mil trabalhadores para a colheita, seleção e embalagem.

O município conta com aproximadamente 400 hectares em produção e outros 48 recentemente implantados,  que iniciarão ciclo produtivo em 2 ou 3 anos. Os pomares localizados  próximos do perímetro urbano e na altitude dos Campos de Palmas( Horizonte) produzem 2,16% da produção nacional das variedades Eva(precoce) Gala, Fuji e seus clones.