Foto: Assessoria Prefeitura FB
  • Compartilhe no Facebook

Foto: Assessoria Prefeitura FB

Na última sexta-feira (28), aconteceu uma mobilização no Calçadão, em frente a Concatedral Nossa Senhora da Glória de Francisco Beltrão. A campanha faz parte do Abril Verde, o qual busca conscientizar a população sobre a importância de adotar medidas para fortalecer a segurança no ambiente de trabalho e evitar acidentes, os quais podem levar a morte.

A coordenadora de Segurança no Trabalho da Secretária Municipal de Saúde, Dalva Colling fala da proposta do evento, “foi chamar a atenção do público que passa na praça. Foi feito também visita no comércio para as pessoas terem consciência de que existe acidente de trabalho, de pessoas que trabalham em lugares que mutilam eles, que existem maquinários, equipamentos sem proteção”.

A construção civil é o setor que mais registra acidentes fatais. “O que mais ocasiona acidente grave e fatal ainda é a construção civil . Agora, acidente por mutilação, entra a metalúrgica e madeireira”. Saliente Dalva.

A ação contou com a parceria dos alunos e professores do curso de enfermagem da Unipar, que desenvolveram trabalhos de orientação, além de aferir a pressão. “A Unipar está disponibilizando para a população atendimento para verificar a pressão arterial, orientação em saúde, prevenção de queda e acidentes de trânsito”, comenta a professora Marcela Trevisan.

Outro ponto alertado pelas estudantes, se trata da prevenção de acidentes na terceira idade, segundo explica a acadêmica Linia Oberger, “a gente pede para que o pessoal utilize os equipamentos de proteção individual e coletivos dentro das empresas. Para os idosos que estão em casa, pedimos para que retire os tapetes, coloque as barras de apoio”.

Em 2016 foi registrado uma morte em Francisco Beltrão, ocasionada por acidente de trabalho. No mesmo ano, 11 intoxicações, 89 acidentes leves, 47 acidentes por material biológico e 15 acidentes graves.

Na busca de reverter esses números, a população pode ajudar denunciando as empresas irregulares, segundo comenta Dalva. “ Pode fazer a denúncia no Ministério do Trabalho em Pato Branco, o qual repassa todas as denúncias para nós, fazemos a vistoria com foto e pedimos a adequação. Depois o ministério pede uma nova vistoria para verificar se está adequada”.