Motoristas que trabalham com o transporte de cargas ou de passageiros terão que fazer o exame toxicológico, previsto em lei, no momento da contratação ou do desligamento da empresa de transporte rodoviário.

A medida que começou a valer a partir desta quarta-feira (02), identifica se até 90 dias antes da coleta, o motorista usou drogas como maconha, cocaína, crack, anfetamina e metanfitamina. A determinação pode ajudar de acordo com a Associação Brasileira dos Caminhoneiros, a diminuir o número de acidentes no trânsito já que há transportadores que trabalham sob influência de drogas.

Os condutores de veículos nas categorias C, D e E também devem fazer o exame toxicológico ao tirar ou renovar a carteira nacional de habilitação (CNH).

O exame custa em média R$ 350 reais, e no país apenas seis laboratórios estão credenciados para fazer o teste.