Os motoristas de veículos de cargas deverão realizar o exame toxicológico  toda a vez que forem renovar as carteiras de habilitação. A medida entra em vigor nesta segunda-feira(30) . O objetivo  é verificar se o motorista fez uso de drogas ou substâncias proibidas nos últimos 90 dias antes do teste.  O exame é obrigatório para caminhoneiros e motoristas de veículos pesados na hora de renovar ou adicionar categoria à habilitação. A nova  atinge pelo menos um milhão e 280 mil motoristas no Paraná.

A determinação está prevista em resolução do Conselho Nacional de Trânsito, Contran, e vale para condutores habilitados nas categorias “C”, “D” e “E”.   O Detran aguarda a homologação dos laboratórios pelo Departamento Nacional de Trânsito, Denatran.

O exame é feito através de pelos e cabelos, ou unhas e é de responsabilidade do usuário. O laudo deve ser apresentado ao dar entrada no processo de mudança de categoria  ou renovação da CNH.Pelo exame são identificadas a presença ou ausência de maconha e derivados, cocaína e derivados (incluindo crack e merla), opiáceos (incluindo codeína, morfina e heroína), “ecstasy” (MDMA e MDA), anfetamina e metanfetamina, conhecida popularmente como “rebite”.

Aqueles que não se submeterem aos exames toxicológicos serão considerados inaptos temporários ou inabilitados até que apresentem o laudo negativo do exame. O laudo tem validade de 30 dias a contar da data que foi expedido. A resolução do Contran prevê que seja criado um banco de dados para analisar a saúde do motorista brasileiro. As informações poderão ser cedidas, por determinação judicial, em caso de acidentes e crimes de trânsito.