• Compartilhe no Facebook

(Imagem Ilustrativa)

 

Uma das maiores e mais esperadas promoções de final de ano é a Black Friday, que inicia no dia 23 de novembro e deve movimentar 2,43 bilhões de reais no Brasil. O levantamento foi realizado pela empresa especializada em dados Ebit/Nielsen, responsável pela reputação, inteligência e informação para e-commerce.

Aproximadamente 52% em 2017 foram feitas por meio de canais eletrônicos, devido a isso a Black Friday se consolida como um evento do comércio eletrônico. De acordo com dados do Google, cerca de 70% dos consumidores brasileiros devem fazer ao menos uma compra na ocasião, destes 44% são eletrônicos (TVs, Celulares, Computadores, etc..). Um dos principais fatores para incentivar as compras é o resultado do 13º salário, que vai injetar R$ 211,2 bilhões na economia brasileira até dezembro.

No caso de compras online é preciso ter cautela, se o consumidor se sentir lesado deve procurar o PROCON (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor), órgão administrativo de poder executivo municipal e/ou estadual destinado à proteção e defesa dos direitos e interesses dos consumidores.

Atenção para as principais causas de reclamações da Black Friday em 2017:

  • “Maquiagem de desconto”, quando se aumenta o preço antes da data para, em seguida, aplicar um desconto que, na verdade, iguala o desembolso do consumidor com o valor anterior.
  • Produtos ofertados não disponíveis
  • Mudanças de preços logo após a finalização da compra,
  • Pedidos cancelados após o fim da venda e
  • Páginas bloqueadas devido ao alto congestionamento nos sites.