Por Luiz Carlos Bittencourt

 

      Estimados irmãos em Cristo, Coordenadores e Assessores da Pastoral Familiar do Regional Sul II
Irmãos no episcopado, saudações!

      Quando se vê, já é Natal – As alegrias do nascimento do Salvador se somam às confraternizações nas empresas, férias das crianças, programação de viagens e encontros familiares, vitrines que sugam o 13º do nosso bolso, formaturas e amigos secretos. É o clima de final de ano: tempo de balanço, avaliação e novos planos. Na nossa Pastoral Familiar do Paraná, temos muitas alegrias a comemorar. Nossas dioceses deram grandes passos. Um sinal disso está nas páginas deste boletim: começam a chegar notícias, fotos, informações com relatos entusiasmados. Tivemos grandes eventos, encontros, assembleias, com resultados bem positivos, na animação da nossa Pastoral. Parece que quanto mais crescem os desafios, maior é a nossa disposição de enfrentá-los. Isso se vê na programação que já está esboçada para o próximo ano, com a graça de Deus.

       O Verbo se fez carne – Natal é a festa de acolhida da Palavra – o Verbo – que vem até nós. A Palavra que se fez carne – Jesus, o motivo do Natal – quase desaparece no turbilhão de palavras que hoje se multiplicam na guerra do comércio e do consumo desenfreado: Papai Noel, gordo e sorridente, vende mais produtos do que Jesus, pobre e excluído das vitrines, embora seja Ele o homenageado. Como foi que aprendemos a combinar o cheiro da estrebaria, o silêncio, o frio e a fome, com as nossas mesas fartas de carnes, frutas, bebidas, sorrisos e presentes? Gostaria que lessem na última Exor-tação do Papa a sua palavra dirigida às Famílias (Verbum Domini, 85): Ali o Santo Padre chama a atenção para o contraste tão evidente: “Perante a difundida desordem dos sentimentos e o despontar de modos de pensar que banalizam o corpo humano e a diferença sexual, a Palavra de Deus reafirma a bondade originária do ser humano, criado como homem e mulher e chamado ao amor fiel, recíproco e fecundo”. Muito esperado desde o Sínodo de 2008, este documento deve chegar às mãos dos nossos casais e famílias, motivando o encontro diário, vivo e amoroso com a Palavra Divina, para que, “através da fidelidade e da unidade da vida familiar, os esposos sejam, para os seus filhos, os primeiros anunciadores da Palavra de Deus”.

        Gratidão e esperança – A nossa Comissão Regional quer deixar, neste último número do boletim da Pastoral Familiar, um grande agradecimento a todos os que acompanharam, divulgaram, enviaram matérias, críticas e sugestões, viveram as alegrias, as esperanças e propostas trabalhadas durante este ano abençoado. Temos certeza que 2011 será melhor. Talvez não seja exatamente tudo como nós queremos, mas será certamente como nosso Pai, sábio e providente, quer. Pois ele sabe melhor que nós mesmos, o que nos faz bem.
Feliz Natal a todos, um Ano Novo de muita santidade, Paz e Bem, de verdade!

Dom João Bosco, O.F.M.
Bispo de União da Vitória