Avançaram as negociações entre governo e servidores da educação federal quanto as reivindicações dos docentes e técnicos administrativos. Com isso, na próxima semana, serão feitas avaliações que podem por fim à greve também no Instituto Federal do Paraná, Campus Palmas.

Conforme o coordenador do comando de greve local, prof. Marcelo Bomfim, o governo aceitou reduzir de quatro para dois anos o tempo para as reposições salariais pretendidas pela categoria.  Os servidores, além do menor tempo, reivindicaram índice de reajuste de reajuste de 10% em janeiro de 2016 e outros 6% em janeiro de 2017. O governo propõe agora 5,5% em agosto de 2016 e 5% em janeiro de 2017.

Conforme Bomfim, as propostas foram consideradas um avanço, embora haja outras questões ainda em discussão como a reestruturação das carreiras que ainda não estão definidas. Explicou que agora ficou marcado para quarta-feira(30) um posicionamento da Federação representativa que deverá manifestar ao governo se acata ou não as propostas.

Caso isso ocorra favoravelmente, a discussão virá para as bases, para deliberação sobre a decisão. Não havendo novos embates será referendada através da assinatura de documento de acordo com o governo. Posterior a isso, os professores poderão encerrar a greve e retornar para as atividades, o que pode ocorrer na primeira semana de outubro.  “O que se percebe é que há uma análise positiva da categoria em torno da recente proposta do governo”, destacou ao RBJ.