Entre 2011 e 2014, a Câmara Municipal de Palmas, sul do Paraná, aumentou em 63% os gastos com os subsídios (salários) dos vereadores. O levantamento foi divulgado nesta semana pelo jornal Gazeta do Povo, com dados do Tribunal de Contas do Estado. Um dos motivos para a elevação dos gastos foi o aumento no número de cadeiras do Legislativo, que em 2011 contava com 9 vereadores, passando para 13 a partir de 2013.

No ano de 2011, somente com os salários dos edis, a população de Palmas gastou R$ 455.844,00. No ano passado, os valores passaram de R$ 743,6 mil. Considerando ainda a estimativa populacional de 2014, cada palmense desembolsou R$ 15,82 para o pagamento dos subsídios aos 13 vereadores do município.

Atualmente, cada vereador palmense recebe mensalmente R$ 5.064,43. O município, juntamente com Mangueirinha e Pato Branco, lidera o ranking de maiores salários do sudoeste do Paraná. O presidente do Legislativo de Palmas é o que recebe o maior vencimento da região, com R$ 8.148,91.

Além dos gastos com salários, os valores desembolsados em diárias também chamam atenção. Entre 2013 e 2014, apenas com diárias para viagens e cursos, inscrições e passagens aéreas para vereadores e servidores da Câmara, foram gastos mais de R$ 464,6 mil. Somente no primeiro semestre deste ano, o valor ultrapassou os R$ 194,7 mil.

Os números, inclusive, estiveram sob análise do Tribunal de Contas do Estado, que realizou uma operação “pente fino” nas prefeituras e Câmaras de todo o Paraná. Segundo o órgão, a Câmara palmense consumiu 8% de seu orçamento com o pagamento de diárias em 2014. Da região, que também apareceram na lista do TCE os municípios de General Carneiro (16.27%); São Jorge do Oeste (11,50%); Vitorino (10,4%).