Os casos de violação dos direitos da criança e adolescentes aumentaram 11,9%, em 2017, em Palmas, sul do Paraná. É o que mostra o Sistema de Informações para a Infância e Adolescência(SIPIA). Em 2016, o Conselho Tutelar atendeu e registrou 436 violações e durante todo o ano passado, foram 488.

Nas questões vinculadas à convivência social e familiar foram 238 ocorrências.  A violação dos direitos ao esporte, lazer, educação e cultura implicaram outros 116 registros. A liberdade, respeito e dignidade foram infringidas 83 vezes no ano passado. Do total, foram envolvidos 237 meninos e 251 meninas.

Ao todo 35 crianças e adolescentes foram vítimas de violência física e 16 sofreram agressões psicológicas. A violência sexual(abuso) fez 25 vítimas no ano passado.

Em relação ao abuso sexual, foram 11 casos de estupro; assédio (02) e outros tipos(02). Os casos foram cometidos no ambiente familiar(05) e no circulo de relações sociais/amizade(05).

Os dados totais colocam o município na 14º posição no Estado, atrás de municípios como Curitiba, Paranavaí, Ponta Grossa, São José dos Pinhais, Toledo, Apucarana, Guarapuava, Cascavel. Em nível regional, Palmas lidera o ranking negativo. Francisco Beltrão teve 393 violações; Pato Branco, 376 e Dois Vizinhos, 305.