Deficientes físicos e visuais de Francisco Beltrão e região se encontraram pela primeira vez nesse ano. Eles participaram no sábado (08) da reunião geral ordinária da entidade. São aproximadamente 100 sócios, mas cerca de 40 participaram da reunião que aconteceu na sede da entidade, anexo ao estádio Anilado.

A reunião foi conduzida pelo presidente Nelson Zuanazzi e superou as expectativas. Segundo ele, esse ano deve ser marcado por muito trabalho por parte da diretoria, para que todos tenham seus direitos assegurados. Uma novidade já anunciada é a criação da Secretaria do Trabalho na entidade, para auxiliar os associados na busca por emprego.

Outra boa noticia é a inserção no programa de habitação popular, da Secretaria Municipal de Assistência Social. O diretor da secretaria, Anildo Krug, participou da reunião e esclareceu como é o funcionamento do programa e como cada associado por ser atendido. Conforme ele existe uma cota de 3 a 5% para portadores de necessidades especiais, porém a secretaria não trabalha com isso, mas pensa em atender todos, inclusive os familiares dos portadores.

E como não podia ser diferente, o tema mobilidade urbana também foi debatido entre os participantes. Além das reivindicações já feitas ao poder público, a ciclo faixa entrou em pauta. Deficientes visuais e cadeirantes questionam se pode fazer uso do local em seus deslocamentos, pela Rua Curitiba.  

Arilson Gambin é portador de deficiência visual e manteve contato com a administração solicitando informações sobre a utilização da ciclo faixa. Uma justificativa será encaminhada à associação durante essa semana, mas ele está confiante que será liberada.