Umas das três cachoeiras que podem ser encontradas no Rio Iguaçu, em Sulina. Foto: Evandro Artuzi/RBJ
  • Compartilhe no Facebook

Uma das três cachoeiras que podem ser encontradas no Rio Iguaçu, em Sulina. Foto: Evandro Artuzi/RBJ

A APAS – Associação dos Pescadores Amadores de Sulina, sudoeste do Estado, realizou neste domingo (19) a sexta etapa de limpeza do Rio Iguaçu, no limítrofe com os municípios de São João, Saudade do Iguaçu e Rio Bonito do Iguaçu. A limpeza envolveu, além dos sócios da entidade, também familiares e colaboradores. Durante toda manhã, os voluntários se utilizaram de embarcações e percorreram as margens do rio, retirando todo e qualquer tipo de lixo. Ao todo, cerca de 700 quilos de lixo, incluindo plástico, eletrodomésticos, móveis, garrafas e até mesmo embalagens de agrotóxicos foram retirados do lago.

O presidente da associação, Gilnei Alcântara, presidente da APAS, destacou a importância dessa iniciativa para o meio ambiente e também para as pessoas que se utilizam do lago para a prática esportiva ou qualquer outra atividade. Segundo ele, esse ano 15 embarcações foram utilizadas para fazer a limpeza, que começa bem cedo e segue até o horário do meio dia. “Começamos bem cedo, ninguém aqui tem preguiça. A gente oferece um bom café da manhã, depois é feita a divisão em duas equipes, uma cada margem. A limpeza segue até o meio dia quando todos são recepcionados com um almoço de confraternização, aqui na mesmo na beira do lago, pra aproveitar a natureza”, disse.

A iniciativa da APAS tem o apoio da Tractebel Energia, administradora da Usina Salto Santiago, de empresas e da administração municipal de Sulina. O prefeito Paulo Horn (PMDB), que também faz parte da associação, fez questão de participar ativamente do trabalho. Para ele, ações como essa deveriam se repetir também em outras cidades da região.

“Seria importante que mais pessoas se envolvessem nesse tipo de trabalho, afinal todos usamos e as vezes acabamos também jogando algo no lago, de forma involuntária. Mas aqui, além da associação, a iniciativa sempre teve o apoio da administração municipal e vai continuar tendo, aliás aproveito e convoco donos de embarcações e pescadores de outros municípios para que na próxima edição se juntem a nós nesse gesto bonito de preservar o meio ambiente”, ressaltou.

Trabalho de limpeza rendeu a retirada de carca de 700 quilos de lixo do rio. Foto: Evandro Artuzi/RBJ
  • Compartilhe no Facebook

Trabalho de limpeza rendeu a retirada de carca de 700 quilos de lixo do rio. Foto: Evandro Artuzi/RBJ

Outro integrante da APAS é o policial militar Selvino Lira. Além de participar ativamente da retirada do lixo, é um dos grandes incentivadores desse mutirão. Satisfeito pela oportunidade de mais uma vez colaborar com o meio ambiente, através dessa ação, lamenta que pessoas ainda desrespeitem a natureza, lançando no lago o lixo produzido no dia a dia.

“As pessoas não têm o mínimo de respeito pelo rio, os pescadores por exemplo, ao deixar o acampamento acabam jogando latas, litros descartáveis e até mesmo lonas plásticas dentro do rio, isso é inadmissível. Quem também me deixa triste são os agricultores, que se desfazem de embalagens de agrotóxicos. Durante essa limpeza encontramos muitas embalagens, ainda cheias, dentro do rio. Acredito que foram adquiridas de maneira clandestina e o medo da fiscalização fez com que os agricultores atirassem dentro do rio para se livrar a fiscalização, isso é lamentável”, observou.

Durante entrevista à Rádio Onda Sul FM e portal RBJ, o policial aproveitou também para convocar a população que preste apoio as entidades que se preocupam com o meio ambiente como, por exemplo, a APAS. Segundo ele, seria importante que mais pessoas se envolvessem na limpeza do lago, não só uma vez por ano, mas sempre que tiver a oportunidade. “Convoco aqui através da imprensa para as pessoas nos ajudem. Toda vez que você está no lago e observar uma garrafa pet ou qualquer outro objeto, retire da água, esse gesto com certeza não vai custar nada para a pessoa, mas trará um benefício muito grande para o meio ambiente”, observou.

Ouça reportagem completa….

Fotos: Evandro Artuzi/RBJ