A última quarta-feira (15) foi marcada por protestos, em todo o Brasil, contra o desmonte na Previdência Social, ocasionado pela proposta de reforma encaminhada ao Congresso Nacional pelo presidente Michel Temer. O deputado federal Assis do Couto (PDT-PR), que é membro titular de comissão especial criada na Câmara dos Deputados para debater, especificamente, esta reforma, elogiou as manifestações em todo o País e convocou: “a sociedade precisa reagir às reformas”.

“Como deputado federal quero deixar minha mensagem de apoio a todas as lutas do Sudoeste do Paraná, de todas as regiões do Estado, e do Brasil que se manifestam contra esta atrocidade, esta violência, esta crueldade com o povo brasileiro, destruindo a previdência social”, disse o parlamentar em uma mensagem compartilhada nas redes sociais e disseminada em aplicativos para troca de mensagens online.

Deputado Federal Assis do Couto (PDT). Foto de divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Deputado Federal Assis do Couto (PDT). Foto de divulgação

Para ele, a proposta do governo é uma total destruição deste patrimônio da sociedade brasileira, a Previdência Social. “Quero manifestar o meu apoio às lutas e dizer a vocês que estarei, na comissão especial, e também no Plenário da Câmara lutando em defesa aos nossos direitos. Parabéns a todos e todos que estão nesta luta para proteger e garantir seus direitos de envelhecer com qualidade de vida, apostando em uma previdência pública, que pertence a todos os brasileiros e brasileiras”, observou o parlamentar paranaense.

Assis também deixou claro que não é contra uma reforma da previdência “De vez em quando, a gente precisa reformar a nossa casa; o nosso carro”. Mas, especificamente, contrário a proposta apresentada pelo governo. “Essa proposta do governo não é uma reforma. O governo propôs colocar abaixo a casa e começar outro, não sei onde e não sei como. Talvez através da iniciativa privada. Porque ninguém vai pagar a previdência sabendo que não vai se aposentar. Que terá que trabalhar 49 anos ininterruptos para ter uma aposentadoria integral e ter 65 anos de idade”, destacou Assis do Couto.

Por fim, o parlamentar pedetista chamou a sociedade à novas lutas em defesa dos direitos conquistados pelos trabalhadores na Constituição de 88.  “O trabalhador é inteligente. Ele sabe que, se ele não vai se aposentar, ele não vai contribuir. E isso vai quebrar a previdência. Essa reforma do presidente Temer é para tapar buracos orçamentários, já da gestão anterior e da própria gestão dele. E para atender o interesse do capital financeiro internacional. Então, a sociedade precisa reagir. E estas mobilizações que ocorreram nesta semana indicam esse caminho”.