O plantio do trigo nos 15 municípios ligados ao Núcleo da Seab (Secretaria da Agricultura e Abastecimento) em Pato Branco, que começou na metade de maio e vai até o final de julho, tem projeção de aumento de área de 15%, na comparação com a safra passada. De acordo com o Deral – Departamento de Economia Rural, a primeira análise aponta para um aumento de área de 11 mil hectares em relação a safra anterior.A projeção  é para uma colheita 20% superior.

Segundo o agrônomo, Josemar Banach Fonseca,  vários fatores tem interferido positivamente  na opção pela cultura. ” A escassez do trigo no mercado interno, a dificuldades das relações comerciais com a Argentina, a elevação de custos para importação do produto do Canadá  e a perspectiva de bons preços para o produto em relação ao milho, tem sido decisivos para o aumento da cultura na região”, analisou.

Informou que na safra passada nos 15 municípios foram plantados 79.045 hectares com uma produção de 219,2 mil toneladas. Para o ciclo 2013/2014 a projeção é de um plantio de 90 mil hectares e uma produção que poderá alcançar  um volume entre 260 a 280 mil toneladas.    

Explicou que até o momento apenas 35% da área foi plantada na região. “Com isso as projeções de área e de produtividade  podem ser revistas  e há possibilidade de serem ampliadas até o final do ciclo”, disse Banach.

Conforme ele, a região deve seguir a tendência estadual. No Paraná, a safra de trigo que tinha projeção de expansão de 100% há um mês atrás, teve projeção reajustada para um crescimento de 111% em relação a safra anterior. A nova estimativa estadual aponta para uma área de 1,32 milhão de hectares, a maior extensão em dez anos. Por outro lado, em âmbito mundial, a previsão é de queda  na produção de trigo, o que deverá favorecer os produtores paranaenses.