O município de Palmas, apresentou aumento no número de homicídios dolosos (com intenção de matar) nos 6 primeiros meses do ano em comparação à 2013. O município ocupa a 4ª colocação no sudoeste do Paraná, com uma taxa de 19,1 mortes para 100 mil habitantes. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública, em relatório divulgado na última semana.

Entre janeiro e junho, nove homicídios foram registrados em Palmas, contra seis no primeiro semestre de 2013. Uma elevação em 50% nesse tipo de ocorrência. Em quantidade, o município só fica atrás de Francisco Beltrão. Para o cálculo do índice, é multiplicado o número de homicídios por 100 mil e dividido pela população total do município. O município palmense ainda se mantém abaixo da média estadual, de 23,5 mortes. A maior taxa no sudoeste é a de Barracão, com 73,0. Para a ONU (Organização das Nações Unidas), é considerado tolerável um índice de 10 mortes para cada 100 mil pessoas.

Para especialistas, esses números levam a sociedade a viver com medo e com descrédito nas forças de segurança pública, reforçando a necessidade de se repensar o modelo de combate à violência adotado nos Estados e no país como um todo.

No 1º semestre, o sudoeste do Paraná registrou 48 homícidios. Em Francisco Beltrão foram dez. Em Pato Branco, seis. O quarto município em população, Dois Vizinhos não apresentou nenhum registro dessa natureza. Sobre as taxas de assassinatos, Capanema é o 2º na região, com 26,4, seguido de Boa Esperança do Iguaçu (25,7).

Fato que chama a atenção é que, dos 42 municípios sudoestinos, 22 não apresentaram nenhum homicídio em 2014. Numa somatória de toda a região, os índices permanecem abaixo do estipulado pela ONU, com uma taxa de 7,7 mortes. A população atual do sudoeste, é de 616.796, segundo o IBGE.