Não é só no Sudoeste e Sul do Paraná que os agricultores estão enfrentando problemas com as constantes quedas de energia elétrica.  Moradores do interior de Passos Maia, Oeste de Santa Catarina, também estão buscando uma solução para o problema que está gerando prejuízos e constrangimentos.

  • Compartilhe no Facebook

O assunto foi abordado nesta quinta-feira(28) em uma reunião convocada pelo governo municipal. O prefeito, Leomar Listoni,  confirmou que foram encaminhados vários ofícios pelas Centrais Elétricas de Santa Catarina(CELESC), sem resultado positivo.

O agricultor, Vilmar de Rezende, do Assentamento 20 de Novembro,  disse que a falta de luz ocorre em média seis dias por mês. Além das dificuldades para ordenhar as vacas, o resfriamento do leite fica comprometido. “Não tem como provar que o leite foi fora, mas todo mundo sabe que foi. Eu fico indignado porque quando vem a cobrança, é sempre a mesma”, desabafou.

A moradora do Assentamento 13 de Junho, Eva Padilha, explicou que como não dá para fazer a ordenha, está ocorrendo, a infecção – mastite – nas vacas. Além de comprometer a capacidade produtiva dos animais, há uma elevação dos gastos  veterinários.

O agricultor Domingos Dougokenski, do Assentamento Zumbi dos Palmares, disse que não aguenta mais os transtornos e prejuízos. Além de complicações na hora de fazer os serviços na propriedade, tem a privação de necessidades básicas, como dificuldades na hora do banho. 

  • Compartilhe no Facebook

  • Compartilhe no Facebook

O prefeito informou que a Celesc será oficiada agora de forma coletiva, com a assinatura de vários moradores. O documento também solicitará a imediata limpeza no entorno de todas as redes de energia elétrica do município, além de reparos e até a trocas de equipamentos deteriorados.

O prefeito advertiu que caso não haja resposta, a intenção é acionar juridicamente a empresa Na época em que vivemos, é inaceitável ficarmos dois, três dias sem luz, sem satisfação”, finalizou o prefeito.