Em assembleias realizadas na noite desta terça-feira (10), funcionários dos Correios decidiram entrar em greve por indeterminado. Entre as reivindicações, a categoria quer impedir a redução dos salários e de benefícios, além de manifestar contrariedade quanto à privatização da estatal, que foi incluída no mês passado no programa de privatizações do governo federal.

Apesar do indicativo de greve geral, em Palmas, a agência dos Correios está atendendo normalmente. De acordo com a gerência da unidade, nenhum funcionário aderiu ao movimento de paralisação. Entretanto, pode haver atrasos nos envios e entregas de correspondências, por conta das paralisações em outras agências e centros de distribuição.

O reajuste salarial é um dos principais pontos reivindicados pela categoria. No entanto, os trabalhadores querem também a reconsideração quanto a retirada de pais e mães do plano de saúde, melhores condições de trabalho e outros benefícios.

Em nota, a direção dos Correios informou ter participado de encontros com os representantes dos trabalhadores para apresentar propostas dentro das condições possíveis, “considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões”.