Os afastamentos por conta de acidentes de trabalho custaram mais de R$ 13,3 milhões entre 2012 e 2018, em Palmas, Sul do Paraná. Segundo levantamento do Setor de Estatísticas da Rádio Club/RBJ junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), nesse período foram registrados 1.444 afastamentos superiores a 15 dias, que resultaram no pagamento de auxílio doença por acidente de trabalho.

+ Palmas registrou mais de 600 acidentes de trabalho nos últimos sete anos

A pesquisa também apontou que as doenças ou acidentes com maiores registros de afastamentos foram dos tipos Osteomuscular e Tecido Conjuntivo (498 afastamentos); Fraturas (393) e Traumatismos (140).

Os afastamentos ocorreram também de forma mais frequente entre trabalhadores dos segmentos da fabricação de madeira compensada, que totalizaram 513 afastamentos; Abate de suínos, aves e outros pequenos animais – 210; e atividades de apoio à produção florestal, que contabilizou 98.

Conforme o MPT, o impacto previdenciário dos afastamentos em Palmas foi de R$ 13,3 milhões, com a perda de 340,2 mil dias de trabalho.

Do total de afastamentos, 66% foram de trabalhadores do sexo masculino. As mulheres representaram 34%, com 487 afastamentos por acidentes de trabalho.