Por Luiz Carlos Bittencourt, fonte: zenit

 

    A Igreja Católica vive o tempo litúrgico do Advento, que é um tempo de vigilância e de espera para atualizar na história Aquele que veio, virá e vem: Jesus Cristo, o Senhor! Conforme a Sagrada escritura, Jesus veio a primeira vez na fragilidade; virá uma segunda vez na glória. Mas justifica Dom Orani João Tempesta, Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ, “Mas a cada dia podemos encontrá-Lo em cada irmão ou irmã. É o Mistério da Encarnação, que agora nos preparamos para celebrar!”
  É nesse tempo que a Igreja Católica do Brasil desenvolve a sua Campanha para a Evangelização como um tempo de despertar alimentar nos com a consciência missionária e o compromisso evangelizador. Essa campanha foi iniciada no Domingo de Cristo Rei, e ela se estende até o 3º Domingo do Advento, domingo da Alegria (Gaudete), quando a Igreja realiza a Coleta Nacional pela Evangelização. Diz o arcebispo: “O Advento ajuda-nos, assim, a aprofundar a nossa responsabilidade evangelizadora que é tão necessária na Igreja, sendo que cada um de nós é responsável pelo anúncio do Evangelho de Jesus Cristo aos irmãos e irmãs. Talvez seja essa uma das maiores lacunas que temos em nossa caminhada eclesial: a consciência missionária e evangelizadora. Sermos permanentemente missionários e em todas as circunstâncias e ambientes. Não podemos colocar apenas na responsabilidade de alguns o trabalho das missões; somos nós, todos os batizados, os responsáveis e animadores para que em nossas comunidades e na sociedade a Palavra de Deus seja a luz no caminho de tantas pessoas que estão ao nosso redor”.
   Essa tarefa tem uma dimensão universal, como é o significado da catolicidade, e não se resume apenas no trabalho local, mas é nas comunidades onde se inicia essa missão. A Campanha para a Evangelização deste ano tem como tema: ‘Eu vi e dou testemunho: Ele é o Filho de Deus (Jo 1, 34). Está inspirado no contexto destes tempos de nova evangelização, Ano da Fé e caminhada para a Jornada Mundial da Juventude. Comentou o arcebispo: “Esse tema e momento nos ajuda ao entusiasmo em nossa caminhada inspirados em nosso plano de Pastoral de Conjunto e também nos textos da V Conferência do Episcopado Latino Americano e Caribenho, realizada em Aparecida, no Estado de São Paulo, de 1º a 31 de maio de 2007 quando esteve entre nós o Papa Bento XVI. Agora que nos preparamos novamente para acolhe-lo na Jornada Mundial da Juventude, esse tema nos une ao lema da JMJ Rio 2013: ‘Ide e fazei discípulos entre as nações (Mt 28,29). Somos Discípulos Missionários e com isso entendemos que, cada um de nós, ao fazer uma verdadeira experiência do seguimento de Cristo em sua vida é, ao mesmo tempo, com certeza, um animado apóstolo! “Quem encontrou Jesus Cristo e se deixou cativar por Ele não pode deixar de comunicar isso também aos outros”!
   A Campanha para a Evangelização dá a possibilidade: a nossa resposta aos presentes que recebemos de Deus. E uma maneira de vivermos intensamente a missão evangelizadora será a partilha que faremos no 3º domingo do Advento, com a Coleta para a Evangelização”. Conclui dom Orani: “Eis um grande desafio para todos nós: a nossa autossustentação e a partilha com outras comunidades que necessitam melhorar ainda mais a missão evangelizadora. “Com nossa doação generosa ajudaremos nossa Igreja Católica a evangelizar mais e melhor”. A Coleta para a Evangelização é realizada em todas as comunidades, capelas, igrejas, locais de culto, celebrações da Igreja Católica no Brasil, e destina-se a ajudar na missão evangelizadora da Igreja. Nas 47 Paróquias e Reitorias da Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, existem um grande conscientização para esta ação concreta.