Em pouco mais de 40 dias, mais um caso de afogamento foi registrado na região de Palmas, sul do Paraná. No domingo (07), um adolescente de 14 anos, morreu afogado no lago da usina hidrelétrica Governador Ney Braga (Salto Segredo), em Mangueirinha. O acidente aconteceu por volta das 15h00, quando Victorlan Hildebrandt, que estava na companhia de amigos, caiu na represa e desapareceu.

O Corpo de Bombeiros de Coronel Vivida foi acionado, localizando o corpo do menino no inicio da noite. Após perícia por parte do Instituto de Criminalística, o corpo foi encaminhado ao IML de Pato Branco.

5º caso em menos de 2 meses

A morte do jovem Victorlan é o 5º caso registrado no região de Palmas, em menos de 2 meses. No dia 31 de outubro, o Corpo de Bombeiros de União da Vitória resgatou o corpo de Amilcar de Castro, 34, que morreu afogado no Rio Iratim, no município de Bituruna, sul do Paraná. O morador da comunidade de Colônia dos Agudos, teria caído na água enquanto armava uma rede de pesca. Conforme os conhecidos, a vítima sabia nadar e relatos ao Corpo de Bombeiros apontaram para a possibilidade de ter ocorrido um mal súbito.

No dia 15 de novembro, o palmense Emerson Luiz Kwiatkowski, desapareceu nas águas do Rio Chopim. O corpo foi localizado na segunda feira (17). O afogamento ocorreu há aproximadamente 15 quilômetros de Palmas, já no município de Coronel Domingos Soares. Não se tem informações precisas sobre as causas do afogamento. A vítima era funcionário do Colégio Bom Jesus de Palmas e a notícia de seu afogamento impactou a comunidade estudantil. Além disso, Emersom pelo jeito espontâneo e comunicativo era bastante conhecido da população palmense que lamentou a sua morte.

Já no dia 24 de novembro, duas crianças morreram afogadas no Bairro Lagoão em Palmas. Os meninos eram primos e o fato ocorreu por volta das 17h00. Conforme informações de populares, Ariel Dreher de Oliveira, 12, e Douglas da Silva de Oliveira,11, decidiram ir até um açude próximo da Indústria Indupinho, após seus familiares, terem sido hospitalizados com ferimentos leves sofridos no choque entre dois veículos na Avenida Parigot de Souza, no mesmo bairro.

O menino Ariel Dreher de Oliveira era estudante do Colégio Padre Ponciano e seu primo frequentava a escola Nossa Senhora de Fátima. Os corpos dos meninos foram retirados da água pelo Corpo de Bombeiros de Palmas e recolhidos pelo Instituto Médico Legal de Pato Branco.

Corpo de Bombeiros orienta sobre cuidados em meios líquidos

Com o aumento nas temperaturas, a procura por piscinas, lagos e rios, também aumenta. Para que as pessoas possam desfrutar dos momentos de lazer que o verão proporciona, alguns cuidados devem ser tomados, principalmente em locais desconhecidos e que escondem perigos, não percebidos fora da água, como pedras, galhos de madeira e até mesmo latas e vidros. O Corpo de Bombeiros de Palmas também orienta:

– Nade preferencialmente em áreas supervisionadas pelos guarda-vidas (salva-vidas), atente para as sinalizações de placas colocadas nos locais de banho;

– Evite nadar sozinho. Ao cair numa correnteza (vala), nade na diagonal, para o fundo e peça socorro;

– Ao sentir dificuldades, não hesite em pedir socorro;

– Não mergulhe em locais desconhecidos ou em ondas quebrando no raso;

– Não utilize objetos que bóiam, pois a perda dos mesmos poderá resultar em afogamento;

– Nadar sempre paralelo à margem (no caso, bons nadadores);

– Evite ingerir bebidas alcoólicas ou alimentos de difícil digestão antes e durante o banho;

– Evite fazer caça submarina ou mergulhos em apneia sozinho. Não nade em locais de trânsito de embarcações;

– Não pesque ou permaneça em costões, pois a queda pode ser fatal.

– Nunca mergulhe de cabeça, podem haver pedaços de madeira ou pedras próximo a superfície e você pode sofre um acidente;

– Crianças, mesmo em águas rasas, somente com a supervisão de um adulto.

Embarcações:

Todas embarcações devem possuir coletes salva-vidas adequados e aprovados pela Marinha Brasileira, em bom estado e em local de fácil acesso. Siga as Leis. Embarcações a motor devem ser inscritas nas Capitanias, Delegacias ou Agências da Marinha do Brasil. Seus condutores devem possuir habilitação.