Um adolescente de 16 anos morreu na tarde desta terça-feira (5) no Hospital Regional em Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná, vítima de meningite meningocócica. João Pedro Ferrari morava em Pérola D´Oeste e estudava no Colégio Sesi de Capanema.

A doença foi diagnosticada por meio de exames laboratoriais no sábado (2). O adolescente estava internado desde sexta-feira (1). Como forma de prevenção, a Secretaria Municipal de Saúde de Capanema imunizou todos os alunos e funcionários do colégio para evitar novos casos.

Conforme a diretora do HRS, Cíntia Jaqueline Ramos, tudo o que estava ao alcance da equipe do hospital foi feito para evitar o agravamento da doença, porém, o quadro evoluiu rápido e João Pedro não resistiu. O caso está sendo acompanhado pela Regional de Saúde de Francisco Beltrão. A diretora, Maria Izabel da Cunha, deve se manifestar sobre o fato nesta quarta-feira (6).

 

Saiba o que é meningite meningocócica:  

Meningite meningocócica é uma forma grave de meningite bacteriana, altamente contagiosa, causada pela bactéria Neisseria meningitidis, também conhecida como meningococo. A bactéria fica alojada entre as meninges (membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal), causando inflamação das mesmas (meningite).

Os sintomas da meningite meningocócica evoluem rápido e podem se agravar em questão de horas. O paciente pode apresentar febre alta, dor de cabeça intensa, vômitos, dor na nuca, rigidez de nuca (dificuldade de encostar o queixo no peito), aparecimento de manchas roxas na pele, confusão mental, falta de apetite, sonolência, agitação, sensibilidade à luz.

O quadro pode evoluir ainda com diarreia, convulsões, delírios e coma. Bebês podem apresentar a moleira tensa ou alta, febre, irritabilidade, gemido ao ser tocado, recusa alimentar, vômitos, choro agudo e convulsões.

A meningite meningocócica é a forma mais temível de meningite bacteriana devido à gravidade e intensidade dos sintomas, podendo até levar à morte se não for tratada a tempo.