Está preso na Delegacia de Polícia Civil de Santo Antônio do Sudoeste/PR, Carlos Rodrigues, conhecido pelo apelido “Carlinhos do Geraldino”, acusado de ter matado um recém-nascido de apenas 5 dias de vida, crime cometido no ano passado e que chocou o estado do Paraná pelos requintes de crueldade.

Além da suspeita de ser o autor do homicídio da criança, o preso responde ainda por outras três tentativas de homicídio, sendo uma delas contra a mãe do recém-nascido assassinado e outras duas em frente a uma danceteria em Santo Antônio do Sudoeste.

À época, as investigações dirigidas pelo delegado Emerson Ferreira desencadearam na ordem de prisão expedida pelo juízo da Comarca. Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Público, Carlos, de posse de arma de fogo, teria atirado contra dois homens em frente a uma danceteria da cidade.

Dias depois, também fazendo uso de arma de fogo, ele se dirigiu a casa de sua ex-companheira que havia poucos dias antes dado à luz, e enquanto as vítimas dormiam, teria disparado diversas vezes causando a morte do bebê, dias após o fato, e lesões corporais na mulher.

Em trabalho conjunto entre a Polícia Civil de Santo Antônio do Sudoeste e a Polícia Civil de Navegantes/SC, Carlos foi preso no dia 05 de janeiro de 2015, em Navegantes, e permaneceu preso no presídio de Caianduba, em Itajaí/SC, até esta terça-feira (09), quando foi transferido para Santo Antônio do Sudoeste, onde permanecerá aguardando julgamento pelos crimes dos quais é acusado.

O preso tatuou no corpo a mensagem “Kayron Douglas, luto eterno”. Kayron Douglas é o assassino de dois policiais militares em Medianeira-PR, crimes ocorridos em agosto de 2014.