As Polícias Civil e Militar de Chapecó, oeste de Santa Catarina, detiveram na madrugada de hoje (09), Clodomir Maciel, 43, suspeito de estuprar 4 mulheres na cidade catarinense. As forças policiais chegaram até ele após denúncia de uma adolescente de 17 anos, que teria sido violentada pelo indivíduo por volta das 23h de segunda-feira (08), nas proximidades do Shopping Pátio Chapecó.

Ao receber as informações sobre o fato, a Polícia Civil passou a realizar diligências na tentativa de capturar Clodomir, vulgo “Clodo”, natural de Palmas, sul do Paraná, que empreendeu fuga, sendo solicitado o apoio da Polícia Militar. Realizadas incursões, o indivíduo foi detido pela equipe do PPT (Pelotão de Patrulhamento Tático) próximo ao posto “Cotraoca”, no bairro Líder. A vítima identificou o mesmo como o autor do estupro. Pouco depois, uma segunda vítima compareceu à Delegacia de Polícia e também reconheceu Maciel por um um estupro em data anterior, na mesma região. Diante disso, Clodo foi preso em flagrante. Em consulta ao sistema, constatou-se que ele é foragido da Justiça do Paraná, onde tem mandado de prisão expedido pela Comarca de Francisco Beltrão.

De acordo com o delegado de Políca de Chapecó, Dr. Márcio Marcelino, Maciel é acusado por quatro estupros. O primeiro, registrado no dia 08 de abril, em que a vítima foi uma mulher de 18 anos. O segundo aconteceu no dia 14 de maio, quando a vítima, após o ato, já acordada, mas foi agredida pelo criminoso, fraturando a mão da mulher que implorou pela vida dos filhos. O terceiro caso foi registrado no dia 01 de junho, contra uma menina de 15 anos e o quarto na noite de ontem (08). A vítima é moradora de Xanxerê.

Segundo informações, Clodo utilizava-se de um perfil falso no Facebook, com o nome de Seco Seco, em que adicionava mulheres, assediando-as e marcando encontros, quase todos na avenida Getúlio Vargas. O crime era praticado no loteamento Avenida. Maciel está detido na Complexo Penitenciário Agrícola de Chapecó.

De acordo com registros do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, Clodomir foi indiciado em vários processos sobre crimes, da mesma natureza, cometidos em Palmas nos anos de 1999, 2001 e 2004.