Uma mulher foi presa pela Polícia Civil em Realeza, no sudoeste, na tarde desta terça-feira (14) acusada de favorecimento a prostituição, no caso do ex-prefeito Eduardo André Gaievski, condenado por estupro de vulneráveis. A identificação da mulher foi mantida sob sigilo, pelo fato de o processo correr em segredo de justiça. Ela é acusada de “gerenciar” meninas, entre elas menores de idade, que foram supostas vítimas de Gaievski.

Há cerca de um ano havia um mandado de prisão expedido contra a mulher que estava foragida, e nesta terça-feira a polícia recebeu informações que ela estava em Realeza.  A acusada permanece recolhida na carceragem provisória da Delegacia da Polícia Civil de Realeza a disposição da justiça. O delegado Ricardo Moraes Faria dos Santos vai solicitar a transferência dela para a Penitenciária de Francisco Beltrão.

Se condenada, pode pegar mais de 10 anos de prisão. Já o ex- prefeito Gaievski que estava preso na Penitenciária de Francisco Beltrão até semana passada foi transferido para a Casa de Custódia em Curitiba, a pedido dos advogados, que alegaram questões de segurança.