“A maioria das pessoas não atualiza o antivírus de seus computadores”, diz Bernardo Brandão.
  • Compartilhe no Facebook

“A maioria das pessoas não atualiza o antivírus de seus computadores”, diz Bernardo Brandão.

Uma nova fraude de boleto bancário está rondando o mercado. O golpe se trata de um vírus que intercepta o código digitado, identifica e altera a linha digitável do boleto para o banco dos criminosos e, normalmente, utiliza o código de barras. Essa ação vem sendo investigada pela Polícia Federal e FBI e já foram encontrados registros de 496 mil boletos bancários desviados, resultando em prejuízos que ultrapassam R$ 8,6 bilhões.

O vice-presidente para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação, da Associação Empresarial de Francisco Beltrão (Acefb), empresário Bernardo Brandão, analisa essa ação criminosa: “A maioria das pessoas não atualiza o antivírus de seus computadores. Por isso é importante evitar fazer boleto em formato de texto, e sim, em formato de imagem para dificultar a vida dos criminosos.” “Outra dica é não abrir qualquer e-mail, onde diz, por exemplo, clique aqui e atualize sua senha. O bom também é evitar fazer boletos online, pois o empresário pode oferecer o pagamento via cartão de débito e crédito”, entende Bernardo.

Para a disseminação do vírus, os crackers (indivíduos que praticam a quebra de um sistema de segurança de forma ilegal), enviam e-mails com supostas mensagens de cobrança, ou conteúdo do tipo “veja essas fotos”, infectando o computador na abertura do anexo.

Recomendações

De acordo com a Base Centralizadora Faciap de Proteção ao Crédito, é importante manter um sistema de antivírus atualizado, um firewall pessoal habilitado, sistema operacional e aplicativos do computador atualizados, além de conferir os dados do pagamento sempre antes de confirmar qualquer transação on-line. Caso você seja vítima de fraude, procure a polícia para realizar um boletim de ocorrência e entre em contato imediatamente com a instituição bancária para tentar reverter o pagamento.