O Bispo de Palmas/Francisco Beltrão, destacou duas celebrações do calendário do próximo domingo, 13 de Maio: Ascensão do Senhor e o Dia Mundial das Comunicações.Em sua reflexão semanal, Dom Edgar Xavier Ertl, enfatiza a mensagem deixada por Jesus Cristo a todo cristão  para a continuidade de sua missão.

  • Compartilhe no Facebook

Conforme o Bispo, anúncio não é privilégio de constituição eclesial( Bispos, Padres, Diáconos, religiosos). “ A partir do batismo todos serão porta-vozes da Boa Notícia, todos serão seus seguidores. Agora a missão é nossa”, destaca.

 

Sobre as Comunicações, Dom Edgar salienta que Liberdade e Verdade são expressões entrelaçadas que nos permite escolhas corretas e justas para colaborar com o bem comum, com a humanidade em suas necessidades e com a superação dos problemas sociais, éticos e religiosos.  Ao ressaltar as necessidades da Pastoral da Comunicação( Pascom) enfatiza a sua importância para o bom anúncio.

Ascensão do Senhor: Agora a missão é nossa!

E, no domingo, 13 de maio, celebraremos a Solenidade da Ascensão de Nosso Senhor. “Foi levado ao céu e sentou-se à direita de Deus” narra-nos o Evangelista Marcos. E o subir aos céus, ele não sobe sozinho, mas nos leva consigo. Ele leva consigo a humanidade que abraçara na Encarnação, pelo Sim de Maria. O enviado do Pai assumiu a nossa natureza. Fez-se homem. Habitou entre nós. Viveu conosco.

Da Galiléia o Ressuscitado comunica aos seus discípulos a continuidade da missão. “Ide e fazei discípulos meus todos os povos”, sem exceção. Todos podem ser discípulos missionários. O anúncio não é privilégio de um grupo ou de uma comunidade eclesial, hierarquicamente constituída. Não é uma reserva para os ministros ordenados ou membros das comunidades de vida consagrada, os puros, os escolhidos. Não. “Ide”. É o imperativo da missão para todos. “Batizai em nome da Trindade” – é a maneira da inserção na vida Dele e a partir do batismo todos serão porta-vozes da Boa Notícia, todos serão seus seguidores. Agora a missão é nossa.

“Eis que estarei convosco todos os dias”. É a promessa da fidelidade. Da garantia. Da segurança. Não estamos órfãos. Ele está conosco. O Mestre está conosco. Ele é o companheiro da caminhada. Eis aqui a força da missão. É ele o garantidor da mensagem. Nós somos apenas instrumentos, e, às vezes, ainda frágeis e vulneráveis, suscetíveis ao pecado, à queda, à infidelidade. Olhemos para os horizontes da missão. Do Céu, ou seja, de Jesus Ressuscitado nos vem a força para sermos suas testemunhas em todos os lugares e “até os confins da terra”.

52º Dia Mundial das Comunicações sociais

Na Solenidade da Ascensão do Senhor a Igreja celebra o Dia Mundial das Comunicações Sociais. E para este ano o tema é “A verdade vos tornará livres” (Jo 8,32), e o lema será “Fake news e jornalismo da paz”. Objetiva-se nesta oportunidade que o Dia Mundial nos ajude a escolher a comunicação que gera verdade, confiança e comunhão. Ao propor este tema o Papa Francisco deseja inspirar aos comunicadores que anunciem a esperança pautada pela Verdade do Evangelho, nas diferentes situações de nosso tempo. Liberdade e verdade são expressões de vida e estão entrelaçadas concomitantemente. Uma depende da outra. A verdade, somente ela nos tornará livres e capazes do discernimento pelas as escolhas corretas e justas. Se extinguirmos a verdade, já não somos mais livres.

O Documento 105 da CNBB – Cristãos leigos/as Igreja e na Sociedade, quando descreve a ação concreta dos leigos/as nos areópagos modernos, diz sobre a comunicação: “O comunicador cristão tem como primeiro objetivo anunciar Jesus Cristo e seu Reino, colaborar com o bem comum, com a humanidade em suas necessidades e com a superação dos problemas sociais, éticos e religiosos. Para tanto, exige-se competência técnica, zelo pela arte, coerência ética, vida espiritual e vivência eclesial. É necessário o intercâmbio com os profissionais das mídias e das comunicações para o aprimoramento técnico, ético, político e social de ambas as partes. A Pastoral da Comunicação necessita de apoio financeiro de todos os setores diocesanos e paroquiais. Todos nós na Igreja precisamos ser conscientizados a respeito da necessidade, prioridade e urgência da comunicação em todos os níveis. Aquilo que não é comunicado, não é conhecido. As boas obras sejam comunicadas para a glória do Pai, o bem da sociedade, a divulgação do Evangelho e para o bom exemplo e incentivo e alegria de todos” (n. 271). Estes são os princípios também da Rede Bom Jesus de Comunicação da Diocese de Palmas – Francisco Beltrão.Parabéns e bênçãos especiais às nossas mães!