Por Evandro Artuzi/ Ivan Cezar Fochzato

 

A presença do Corpo de Bombeiros no Paraná teve início em Curitiba, no ano 1882, com uma sociedade de bombeiros voluntários. Era a Sociedade Teuto-brasileira de Bombeiros Voluntários e visava satisfazer a necessidade de contemplar a comunidade com um serviço contra incêndios, de caráter supletivo ao Governo do Estado e Município, os quais, em virtude de escassos recursos financeiros, tinham dificuldade para organizarem o departamento contra o fogo.

Passados vinte e quatro anos, no ano de 1.912, o então presidente da Província do Paraná, Carlos Cavalcanti, apresentou ao Congresso Legislativo do Paraná, um pedido de crédito necessário à criação de um Corpo de Bombeiros na Capital.

Organizou-se, assim, pela sanção da Lei n.º 1.133, de 23 de Março de 1912, a tão esperada organização, que tinha equiparados os postos dos seus componentes, na plenitude de direitos, honras, prerrogativas e vantagens, aos equivalentes do Regimento de Segurança que é a atual Polícia Militar do Paraná.

Mas foi o dia 08 de outubro de 1912 que marcou o início das atividades do Corpo de Bombeiros do Paraná, pela leitura da ordem do dia baixada pelo Major Fabriciano do Rego Barros, primeiro comandante da Corporação.

A constituição inicial tinha caráter rigorosamente militar e a imprescindível autonomia completa. Possuía um Estado-maior, duas Companhias e dois Estado-Menor.

No ano de 1917 foi incorporado à Força Militar como Companhia de Bombeiros (Lei n.º 1.761 – 17/03/1917). Em 1928 voltou a ser independente, com a constituição de Corpo, por intermédio da Lei n.º 2.517, de 30/03/1928, passando a ter Estado-maior, Estado-Menor e duas Companhias.

Em 1931 passou novamente a fazer parte da Força Militar como Batalhão Sapadores-bombeiros, para fins militares, tendo porém sua parte administrativa e técnica desvinculada e independente do Comando Geral.

No ano de 1932, o Decreto 134, de 15 de Janeiro do mesmo ano dispôs que a Corporação de Bombeiros passava a ser chamada Corpo de Bombeiros e tinha caráter independente da Força Militar, embora podendo ser empregada em serviços de guerra.

Em 1934, por intermédio do Decreto n.º 86 de 18 de Janeiro, o Governo sujeitou os integrantes do Corpo de Bombeiros à Justiça Militar da Força e reduziu-o a uma companhia, vedando as transferências entre uma Corporação e outra.

Em 1936, passa à administração do município e em 1938 retornou à administração do Estado sendo reincorporado à Polícia Militar com a denominação de Companhia de Bombeiros, porém gozando de autonomia administrativa para aplicação dos meios que lhe
fossem atribuídos no orçamento do Estado.

Em 1953 passou a denominar-se, Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná. Neste domingo (09/10), os 99 anos que a instituição completa no Estado foram comemorados em Francisco Beltrão por todos os integrantes do 3º Subgrupamento de Bombeiros Independente.

Durante toda a manhã foram desenvolvidas atividades comemorativas na Praça Central, encerradas com a celebração de uma Santa Missa na Concatedral Nossa Senhora da Glória. O comandante do 3º SGBI, Major Norton Alexandre Kapp, comentou sobre a data, resgatando inclusive dados sobre a instalação do Corpo de Bombeiros em Francisco Beltrão, que aconteceu em 1977.

O Subcomandante da unidade, Capitão Marcos Donati, destacou o apoio que a população Beltronense sempre deu ao Corpo de Bombeiros.

Conforme ele, desde a instalação a chegada da corporação, a comunidade tem sido parceira. Ao comentar sobre os 99 anos, Donati lembrou que o Corpo de Bombeiros tem hoje uma grande aceitação junto à população. Segundo ele, uma pesquisa recente revelou que a corporação só perde para a família na aceitação popular.

 

CORPO DE BOMBEIROS EM PALMAS COMEMORA OS 99 ANOS NO PARANÁ

 

Em  Palmas, Paraná, um jantar marcou a data. Na oportunidade além de integrantes do Corpo de Bombeiros do quartel local e da região,  participaram do evento, várias lideranças locais, convidados, colaboradores e imprensa.  O comandante, subtenente Roberton Zorzenon, destacou os quase cem anos da presença dos Bombeiros no Paraná e o apoio que o quartel local tem recebido em Palmas.

 

O prefeito de Palmas, Hilário Andraschko, aproveitou a oportunidade para destacar os trabalhos da corporação, salientando, que os serviços aqui desenvolvidos, tem sido muito importantes, indo além dos normais de um dia a dia de um quartel, trazendo muitos benefícios para a população local. “O trabalho que o Corpo de Bombeiros tem feito em Palmas, merece aplauso da população palmense”, disse o prefeito.