Lideranças empresariais, autoridades e imprensa prestigiaram a 1ª edição da Confraria do Empreender, organizada pela Associação Empresarial de Francisco Beltrão (Acefb) no Dom Zu Centro de Eventos de Francisco Beltrão. Para Joares Ribeiro, diretor-executivo da Acefb, um dos objetivos do evento foi conectar pessoas e inspirá-las, afim de tornarem seus sonhos em realidade. “O Programa Empreender é uma das ferramentas da associação mais eficazes no incentivo ao fortalecimento das empresas associadas e estímulo ao associativismo”, disse na abertura da Confraria. Conforme o dicionário Aurélio, “confraria” pode ser entendida como irmandade e sociedade.

Já o palestrante da noite, João Carlos de Oliveira, carinhosamente conhecido por “Pretinho básico”, levou ao público o tema “Transforme suas ideias em ações e suas ações em resultados.” Para João Carlos, um dos pontos fundamentais do encontro foi fazer os empresários olharem o atual cenário econômico brasileiro e fazê-los enxergarem as possibilidades de se fazer algo diferente. “Para haver mudança tem que ter muita alegria. Não podemos ter um empreendedor com a ideia de que nós brasileiros não temos condições de ir além. Se não falarmos de crise, estaríamos nos enganando, pois ela está aí. Tenho costume de dizer ao empresário: faça com que a crise vire moda, porque se ela virar moda ele vai usá-la no bom sentido, vai entender seu negócio e assim crescer com essa situação”, analisa.

Melhorar a comunicação, os produtos e serviços entregues aos clientes e como fazer parcerias. Tudo isso deve ser levado em consideração pela classe empresarial, segundo João Carlos. Para ele, é preciso entender a empresa como um todo. “O produto não pode ser um produto por si só. Ele tem que ter algo a mais, tem que agregar valores. O empresário tem que transformar as ideias em algo diferente, rever a missão e a visão da empresa, esse é o ponto chave para o sucesso.”

Sociedade bloqueada

Participantes interagiram em vários momentos com o palestrante. Foto: Evandro Artuzi/RBJ
  • Compartilhe no Facebook

Participantes interagiram em vários momentos com o palestrante. Foto: Evandro Artuzi/RBJ

Sob o ponto de vista de João Carlos, é preciso ser rompido um bloqueio que ainda há em boa parte da sociedade empresarial. “Tem que parar com a ideia de que somos pequenos, é uma síndrome brasileira. Penso que o pequeno é grande, temos que ser grandes sempre, enxergar nossa realidade e quando enxergamos essa realidade, como exemplo, Francisco Beltrão, com mais de 85 mil habitantes e olharmos toda essa tecnologia que está aí, podemos dizer que está na nossa frente mais de 80 mil possibilidades de negócios. E se olharmos a região Sudoeste?”, questiona o palestrante.

Tatiane Ronsani, consultora do Programa Empreender Competitivo da Acefb, entende que o evento oportunizou o fortalecimento do Município, bem como na criação de novos projetos. “Foi maravilhoso, gratificante e recompensador ver todas as pessoas aqui motivadas a continuar o Projeto Empreender. Com isso, vem surgindo dentro dos núcleos da Acefb novas lideranças.”

Somos clientes da nossa empresa

Com essa frase, João Carlos afirma que está mais do que na hora de o empresário mudar certos conceitos. “Como que eu como empreendedor gostaria de ver aquela empresa que atende o meu cliente, que é fiel? Como que eu queria ser atendido? A resposta pode estar mais próxima do que as pessoas imaginam. É hora de perceber melhor os parceiros, os vendedores, promotores, esses seres humanos do nosso dia a dia. O empresário precisa perder a mania de dizer ‘meu funcionário’. Se você não motivar algo que é funcional, não funciona. Tem que vê-lo como uma pessoa que está colaborando com o sucesso da empresa.”

Marcos Guerra, presidente da Acefb entende que os integrantes de núcleos da entidade (ao todo são 16) representam o principal valor: trabalhar em prol da comunidade. “Temos trabalhado para colaborar da melhor forma possível para o crescimento de Beltrão. O trabalho dos núcleos é magnífico, tanto que uma das minhas atitudes quando assumi a presidência da Acefb foi de que as reuniões ordinárias de terça-feira de manhã deveriam ser feitas de forma rotativa, para que cada núcleo mostrasse seus trabalhos. Estarmos aqui reunidos nesta noite é fruto de um trabalho feito por todos”, analisa Marcos.

 

São parceiros das ações do Programa Empreender ao longo do ano a CACB, Faciap, Cacispar e Sebrae.