A vereadora Elenir Maciel publicou neste sábado(28), nas redes sociais, um desabafo sobre o fato ocorrido no dia 25 de março, quando a filha, Débora Maciel, dona do Corolla preto, que se envolveu na confusão, que resultou na morte de Nilvo Bortolini, foi criticada e hostilizada nos grupos de whatsapp por estar dentro do veículo e por furar a barreira sanitária colocando em risco a vida das pessoas que estavam no local.

Leia na íntegra o texto publicado no Facebook:

“Neste momento, rompo meu silêncio e isolamento, para me dirigir em primeiro lugar a vocês Daiane Antonelli, Rhuan e Família do Sr. Nilvo. Meu coração arde de dor e tristeza pelo acontecido. Tenho somente rezado pedindo a Deus que os conforte neste momento de dor. Peço perdão em nome da minha família, pelo fato da minha filha estar junto no carro, (Que segundo me informaram o motorista estava experimentando para comprar).como tudo, tudo o mais que ela teve, e vendeu para consumir droga.

Agora, dirijo-me aos julgadores e sensacionalista de plantão. Peço a Deus, para os que têm filhos, e os que não tem, que não os tenham, para que os inocentes não paguem pelo peso de suas línguas.

Me criei sem mãe, trabalhei desde os meus doze anos para ter meu sustento. Nunca roubei, enganei ninguém para levar vantagem. Sofri, chorei, passei necessidades, estudei e venci com honradez Fé e muito trabalho. Criei, junto com meu amor (in memória), quatro filhos, todos pessoas honradas e trabalhadoras.

A minha filha Débora aos 42 anos, caiu no mundo fantasioso e terrível das drogas, e de lá para cá nossas vidas tem sido de tormento, angústia e dor.

Sei que neste post, os “amigos” se calarão, como tem feito em outros, (para não se complicarem) eu os entendo, muitos por ocasião do meu aniversário assim o fizeram através do WhatsApp. Quanto a vocês ( julgadores e sensacionalistas de plantão) a quem muito ajudei, inclusive arrumando trabalho, e intervindo para que não perdessem o mesmo. Usem deste post, para destilar seus venenos. Estou aqui, esperando, não se utilizem de post de outras pessoas que nada tem a ver com o fato.

Em tempo, afirmo, sou vereadora no quarto mandato procuro sempre respeitar e trabalhar no que me compete fazer. Fui Presidente da Câmara por quatro anos, onde tive as Contas Aprovadas pelo Tribunal de Contas, sem nenhuma ressalva. Nunca utilizei meu cargo ou função para ter benefícios de ninguém, para ninguém.

Isto posto, retorno aos julgadores e sensacionalista olhem para cima, Ele Deus não dorme.

Quem errou vai pagar, já está pagando na justiça. E certamente prestará contas na Justiça Divina.”

Relembre o fato:

Perseguição policial termina com prisões, feridos e uma morte em Francisco Beltrão