Com a proposta de ampliar o aspecto cultural da região, a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Realeza está desenvolvendo o Projeto de Extensão “Viva a Capoeira – cultura, educação e saúde”. As aulas iniciaram ainda no mês passado, no Ginásio Municipal de Esportes do bairro João Paulo, em Realeza. Cerca de 20 pessoas, entre crianças e adolescentes, estão participando da atividade que não envolve apenas jogar capoeira, mas também apresenta a história, a música e os instrumentos dessa manifestação cultural.

Segundo o professor Julio Trevas, o objetivo principal do projeto é fomentar discussões sobre as questões étnico-raciais, preconizadas na educação básica. “Em cada encontro, além dos movimentos que se utilizam na roda de capoeira, vamos trazer outros elementos, como as músicas, os estilos, os aspectos histórico-culturais de como a capoeira surgiu e como é desenvolvida”, explica.

Entre os participantes do projeto estão Luis Vitor Marsaro Guimarães, de 8 anos, e a irmã Julia Paola, de 10 anos, que sempre mostram o que aprenderam nas aulas aos pais, como conta a mãe do casal Marizete. “Achamos a proposta do projeto interessante, porque o foco não é só o jogo da capoeira, envolve o trabalho da história, da arte, da música, toda uma diversidade de elementos, o que é muito importante para educação e disciplina”, avalia.

As aulas do Projeto de Extensão “Viva a Capoeira – cultura, educação e saúde” são realizadas às segundas, terças e quintas-feiras, no horário das 17h às 18h30min, no Ginásio Municipal de Esportes do bairro João Paulo.

O projeto conta com a parceria da Secretaria de Educação de Realeza e do grupo de Capoeira Geração Sul, de Pato Branco. A coordenação dos trabalhos é do professor Emerson Martins, tendo como componentes da equipe os professores Renata Orlandi e Julio Trevas.