A cada eleição são inúmeros os candidatos que tentam uma vaga para o legislativo ou executivo, nas mais variadas esferas municipais, estaduais ou federal. Cada um com suas particularidades, mas sempre buscando debater temas do interesse coletivo.

Nesse mar de candidatos, muitos eleitores não analisam sua trajetória, o que ele fez pela sociedade e quais são suas reais intenções em assumir o cargo público. E no fim pode custar caro para a sociedade a eleição de pessoas não comprometidas com as demandas e anseios de sua população.

Por isso é bom estudar o candidato, se inteirar de suas propostas. Segundo o Promotor de Justiça da Comarca de Chopinzinho, Willian Rafael Schoz, “o voto consciente é aquele que a pessoa estuda as propostas dos candidatos, ele pensa no voto como um exercício da democracia. Para o cidadão é a participação mais efetiva que ele tem na mudança de rumo de uma sociedade”.

A declaração foi destacada durante a terceira edição do programa Se Liga nas Eleições, uma parceria entre a Rádio Difusora América, Ministério Público e Justiça eleitoral de Chopinzinho.

“Na visão do Ministério público, não só como Promotor de Justiça, mas como pessoa. É uma questão de formação básica de cidadania, você ter ideia da importância do ato de votar nesse momento que se verifica tantas operações policiais, atuação do Ministério Público nas questões de improbidade administrativa”. Frisa o Schoz.

Acompanhe o terceiro programa na íntegra.

 

Confira algumas dicas para votar consciente:
(Fonte MP-PR)

– O eleitor deve procurar se informar sobre os principais problemas de sua comunidade, cidade, estado e país, para escolher o candidato que poderá efetivamente contribuir para a melhoria da realidade nas áreas de educação, saúde, segurança pública, economia, transporte, emprego, etc. Deve também valorizar os candidatos com propostas que contemplem as melhorias consideradas necessárias pelos cidadãos.

– O horário eleitoral gratuito é uma das formas de conhecer e acompanhar as propostas dos candidatos e conferir se as soluções pretendidas para os problemas da população são atribuições do cargo ao qual o candidato concorre.

– Acompanhe esses programas com o senso crítico aguçado, pois não é incomum que, na mídia, todos os candidatos pareçam iguais. Por isso, é preciso compreender os projetos e ideias apresentadas, para verificar se são viáveis.

– Também é importante acompanhar o noticiário e consultar o histórico dos seus candidatos, pois eles podem responder a processos judiciais ou estar envolvidos em denúncias de corrupção.

– O eleitor também deve ficar atento ao que os postulantes a cada cargo podem sugerir ou prometer. Por exemplo, medidas em relação à inflação devem fazer parte das propostas de um candidato à presidência da República, mas não de um vereador. Este pode, por exemplo, abordar a educação municipal ou o transporte público.

– O eleitor deve levar em conta que mensagens genéricas, com promessas de mudanças, não merecem credibilidade se não estiverem acompanhadas de ações concretas, bem explicadas e fundamentadas pelos candidatos.

– Outros cuidados fundamentais na hora de escolher o candidato são não se deixar levar pela aparência física, sobrenome ou popularidade; acompanhar a prestação de contas dos que já ocupam cargos públicos, através dos portais da transparência dos órgãos oficiais (é possível conferir, por exemplo, como deputados gastaram a verba de gabinete, quais os temas de projetos apresentados, entre outras informações relevantes).

– Votar sem reflexão prévia e sem cuidado pode custar caro para o futuro do País, do Estado ou do Município, pois será necessário esperar mais quatro anos por outra oportunidade de trocar de representante.