O Ministério Público da Comarca de Marmeleiro, no Sudoeste do estado, ofereceu denúncia nesta sexta-feira (13), contra dez pessoas suspeitas de promover a compra de votos em Renascença. Entre os denunciados estão um candidato a prefeito, duas candidatas ao cargo de vereadora, empresários e eleitores.

Segundo as investigações, conduzidas com apoio do núcleo de Francisco Beltrão do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a prática ilegal era realizada mediante o fornecimento de combustível a eleitores, que recebiam vales para serem trocados num posto de gasolina (ao menos 37 situações dessa natureza teriam ocorrido).

Se comprovada, tal conduta configura crime de corrupção eleitoral, punido com até quatro anos de prisão e multa. Pelos mesmos fatos, além de oferecer a denúncia, o Ministério Público Eleitoral ajuizou ação de investigação judicial eleitoral contra os candidatos. A medida foi adotada porque as condutas investigadas, além de configurarem prática de crime eleitoral, caracterizam captação ilícita de sufrágio e abuso do poder econômico.

Fonte: Assessoria MP/PR