Com o encerramento do período de requerimentos de registros de candidaturas, tem inicio a campanha eleitoral nos municípios, onde serão escolhidos novos prefeitos e vereadores, que atuarão entre 2021 e 2024.

Em Palmas, seis candidatos estarão disputando os votos dos 31,3 mil eleitores, com o objetivo de chegar à prefeitura municipal. Os concorrentes poderão gastar, no máximo, R$ 123 mil em suas campanhas. Quem desrespeitar os limites de gastos fixados para cada campanha pagará multa no valor equivalente a 100% da quantia que ultrapassar o teto fixado, sem prejuízo da apuração da prática de eventual abuso do poder econômico.

A seguir, você confere, por ordem do nome de urna, um breve histórico dos concorrentes à prefeitura de Palmas:

  • Compartilhe no Facebook

Acioli – Ganso (PSL)

Empresário, ocupou o cargo de vice-prefeito entre 2005 e 2008, quando o município foi governado por João de Oliveira. Em 2008, concorreu à reeleição como vice-prefeito, sendo derrotado. Em 2012, foi eleito vereador com mais de 2 mil votos. Em 2016, concorreu novamente como candidato a vice-prefeito, na chapa encabeçada por Daniel Langaro, não obtendo êxito. Em todos os pleitos, concorreu filiado ao PTB (Partido Trabalhista Brasileiro). No inicio deste ano, passou a integrar os quadros do PSL (Partido Social Liberal), sendo indicado pelo partido para a disputa da prefeitura. Terá ao seu lado, o também empresário, ex-vice-prefeito e ex-vereador, Nestor Mikilita (PSL), como candidato a vice. Integram a coligação ainda o PTC (Partido Trabalhista Cristão) e o PL (Partido Liberal).

  • Compartilhe no Facebook

Baitaka (PSC)

Vereador por seis mandatos, o atual vice-prefeito do município, César Pacheco Baptista aposta que sua experiência no âmbito político o habilita para buscar a chefia da prefeitura. Considera, dentro da atuação do prefeito, deve ser criado um ambiente para o desenvolvimento econômico do município, oferecendo melhores condições para as empresas gerarem emprego e renda. Integra sua chapa como candidato a vice, o ex-vereador João Ramos de Mello Filho (PV), o João Bucha. A coligação tem o apoio também do PDT (Partido Democrático Trabalhista), Democratas e Democracia Cristã (DC).

  • Compartilhe no Facebook

Daniel Langaro (MDB)

Empresário, disputou sua primeira eleição em 2016, ficando em 2º lugar na disputa pela prefeitura de Palmas. Segundo ele, mesmo após ser derrotado não parou de planejar rumos e ações para o município, colocando-se novamente à disposição para as discussões. Salienta que as diretrizes de seu plano de governo apresentado na última eleição deverão ser as mesmas em 2020. Encabeça uma chapa pura do MDB, com o advogado Ulisses Antônio Padilha da Silva como candidato a vice. Estão na coligação também o Cidadania, Patriota, PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) e Podemos.

  • Compartilhe no Facebook

Dr. Kosmos (PSD)

Médico, foi eleito prefeito de Palmas em 2016, com César Pacheco Baptista como vice. Iniciou sua gestão filiado ao PEN (Partido Ecológico Nacional), atual Patriota. Em seguida, filiou-se ao Democratas e, há alguns meses, passou a integrar os quadros do PSD (Partido Social Democrático), sigla que preside no município. Disputará a reeleição, com o empresário Bruno Goldoni, também do PSD, como vice. A chapa tem o apoio também do PSB (Partido Socialista Brasileiro) e PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira).

  • Compartilhe no Facebook

Izaias Mikilita (Republicanos)

Vereador em primeiro mandato, Izaias Mikilita afirma que o projeto é discutido desde seu primeiro ano de mandato, em 2017. Sobre possíveis ataques e questionamentos pelo fato de ser jovem, Mikilita considera que a idade não tem influência, destacando que ele, juntamente com seu candidato a vice, Rafael Bosco (Progressistas), possuem energia e força de vontade para desempenhar suas ações.

  • Compartilhe no Facebook

Tertuliano Andrade (PT)

Candidato a vereador nas eleições de 2004, candidato a prefeito em 2008, 2012 e 2016, e candidato a deputado federal em 2018, Tertuliano Andrade tentará novamente chegar à prefeitura de Palmas, desta vez encabeçando uma chapa pura do PT, com Sebastião Lustosa na condição de vice.