O adiamento nas datas de votação, o fenômeno das fake news e as restrições impostas pela pandemia são fatores que terão grande influência nos resultados das eleições municipais de 2020. A análise é do cientista político e mestre em Direito, Doacir Gonçalves Quadros.

  • Compartilhe no Facebook

Em entrevista à Rádio Club de Palmas, o especialista destacou os pontos que considera preponderantes na disputa eleitoral nos municípios, chamando atenção para as notícias falsas, que, assim como no pleito de 2018, deverão estar no centro dos debates neste ano.

As restrições sanitárias em decorrência da pandemia da Covid-19, que têm levado as campanhas para o âmbito digital, também deverão impactar as eleições, uma vez que até então, os pleitos nos municípios eram caracterizados pela maior proximidades entre candidatos e eleitores.

Por outro lado, apesar das campanhas ganharem terreno nas redes sociais, ele avalia que a legislação eleitoral ainda não se atualizou para essa realidade, se caracterizando em um desafio para a Justiça no sentido de combater a desinformação e reger os formatos das campanhas na Internet.

Diante desse avanço eleitoral nos meios eletrônicos, Quadros aponta que, apesar da onda de desinformação, os eleitores estão mais críticos naquilo que recebem, o que deve se refletir também nas cobranças aos prefeitos e vereadores eleitos.

Sobre o discurso do “novo”, da “renovação”, da “inovação” e da “nova política”, que têm tomado as campanhas desde 2018, o docente reconhece que as últimas eleições têm apresentado um certo nível de renovação. “Porém, também acompanhamos que, muitas vezes, ela é uma ‘pseudo-renovação’, ou seja, deixou-se de se eleger o pai, mas se elegeu o filho, o sobrinho, ou mesmo um colega de grupo político”, aponta. Ouça a entrevista no player abaixo: