Após cinco anos do ingresso da primeira turma do curso de Engenharia Química da UTFPR de Francisco Beltrão é chegado o momento de reunir familiares, amigos e professores para comemorar a outorga de grau. A solenidade será no sábado (30) às 19h30 no Espaço da Arte. Na ocasião também haverá outorga para os formandos em Engenharia Ambiental e Licenciatura em Informática.

A Engenharia Química oferta 44 vagas semestralmente e foi reconhecido em 2017 com a nota 5, a mais elevada (escala de 1 a 5) na avaliação atribuída pelo Ministério da Educação (MEC).

O Curso recebe estudantes de diversas regiões do país, contudo, a maioria dos alunos regularmente matriculados são do Paraná (49% do total). Este panorama demonstra a importância da formação de Engenheiros Químicos capacitados de forma a atender a demanda local e contribuir para o desenvolvimento tecnológico da região. O curso ainda tem alunos dos estados de São Paulo (19%), Santa Catarina (15%), Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Piauí, Sergipe, Pernambuco e Rondônia.

Para o diretor de graduação, Marcelo Bortoli, “a colação de grau da primeira turma é um marco importante para a UTFPR de Francisco Beltrão, pois apresentará ao mercado engenheiras e engenheiros de qualidade técnica e acadêmica que competirão, sem dúvida nenhuma, com colegas de profissão em nível nacional e internacional. Os formandos passaram por um curso com estrutura física de qualidade internacional e tiveram como professores profissionais de excelência. Nosso curso é conceito 5, segundo avaliação do MEC e esse é o nível da formação que nossos alunos receberam”.

De acordo com o coordenador da Engenharia Química, André Zuber, um dos diferenciais dos egressos está no contato real com a indústria durante a graduação, na iniciação científica e na ênfase para a biotecnologia. “Esses dois vieses apresentam ao nosso aluno possibilidades reais de atuação após a conclusão do curso. Temos estudantes que resolveram seguir a carreira acadêmica, justamente pelo contato que tiveram com pesquisas na Iniciação Cientifica, e já foram aprovados em programas de mestrado”, comenta Zuber. Outro grande destaque é trazer problemas reais da indústria para serem resolvidos em Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) e na iniciação. “Esta aplicabilidade diretamente na indústria faz com que os alunos saiam dos ambientes de simulação e certamente é um grande diferencial na formação”, ressalta o coordenador.

Formandos

  • Compartilhe no Facebook

Parte dos formandos da primeira turma de Engenharia Química da UTFPR, câmpus Francisco Beltrão. Crédito da foto: DDM

Alguns alunos da primeira turma já estão com emprego garantido na área, outros resolveram seguir a carreira acadêmica e foram aprovados em importantes programas de mestrado. Este é o caso da Fernanda Manichi. Ela foi aprovada em programas de mestrado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e na Universidade Estadual de Maringá, onde está frequentando as aulas. 

O processo seletivo para os mestrados foi análise do currículo lattes, e a UTFPR me proporcionou um currículo com participação em iniciação científica, programa de extensão, participação em congressos, minicursos, tudo que soma pontos para a classificação. Por isso é importante aproveitar todas as oportunidades que a faculdade oferece e não apenas academicamente, mas também viagens técnicas, minicursos, empresa Júnior, atlética, centro acadêmico, até treinar esportes e ir para os jogos. São experiências de uma fase única da vida que passa muito rápido, que não ajuda somente no crescimento profissional mas também no pessoal”, comenta.

Fernanda morava em Jesuítas (PR) e desde o primeiro ano do Ensino Médio já havia escolhido sua carreira por ter mais afinidade com as exatas e por se interessar por pesquisas na área. “Já conhecia amigos que faziam esta engenharia. Fui aprovada em Francisco Beltrão e me adaptei fácil, por ser uma cidade boa para se morar que dá pra se virar a pé tranquilamente e que não é perigosa”, afirma. A recepção na universidade também fez diferença no processo. “Fui bem acolhida pela universidade e pelos veteranos e isso faz toda a diferença pois morando fora de casa, os amigos que fazemos viram nossa família nesses anos longe”, comenta Fernanda.

Outro exemplo é da Caroline Ribas, que já foi contratada no cargo de Analista por uma empresa no ramo de alimentos e bebidas. “Sem dúvidas, a engenharia química te prepara para encarar qualquer desafio. Descobri que o feeling (que tanto os professores falavam) existe mesmo e é o que nos guia. Todos os dias temos muitos desafios, problemas na indústria para buscar soluções. Esse é o perfil do engenheiro, ir até o fim, nunca desistir e a universidade te prepara para encarar os desafios também”, ressalta.

Sentimentos

O professor Juan Pokrywiecki foi um dos primeiros professores da graduação e conta que a turma veio com propósito de buscar conhecimento além do diploma. “A vida é cheia de ciclos, uns terminam e outros começam, então gostaria de deixar uma dica para vocês a vida é durona, mas é sábia. Sejam fortes e perseverantes e irão tirar de letra já que o conhecimentos vocês já tem”, destaca Juan.

O coordenador do curso também deixa um último conselho aos alunos. “Nada como honrar a profissão, honrando o código de ética. Desta forma terão as portas abertas para várias oportunidades. Sempre mostrarem o seu melhor, sendo criativo, proativo e autônomo para resolver os problemas”, finaliza Zuber.