A Regional Sul do Sebrae/PR divulgou balanço das atividades promovidas pelo Programa de Startups nos municípios do sul e sudoeste do Estado, em 2018. O relatório mostra que 163 potenciais empresários receberam suporte para desenvolver seus negócios, além do atendimento a 35 microempresas, quatro empresas de pequeno porte e cinco microempreendedores individuais (MEIs). Os dados revelam ainda a realização de 570 horas de consultorias, seis oficinas, quatro clínicas tecnológicas e três missões técnicas. Somadas, as clínicas, oficinas e missões tiveram 244 participantes.

Elizandro Ferreira, consultor do Sebrae/PR, destaca os principais indicadores do projeto, como os controles gerenciais implantados nas startups e a formalização dos negócios que entraram sem CNPJ. “Além dessas ações, o Programa contribui com o aperfeiçoamento de produtos ou processos e para aumentar o número de startups investidas”, salienta Elizandro.

  • Compartilhe no Facebook

A maratona de programação na Uniguaçu, em União da Vitória, no ano passado, foi uma das ações promovidas na Regional Sul do Sebrae/PR (crédito – Assessoria de Comunicação Uniguaçu)

A EduKaMaker, que surgiu em Francisco Beltrão em 2016, foi uma das startups beneficiadas pelo Programa do Sebrae/PR. Henrique Alves Camargo, cofundador da EdukaMaker, relata a participação em várias atividades, como o projeto Go to Market e os Demodays (dias de apresentação). “Com isso, conhecemos outros empreendedores e empresários, aumentamos a rede de contatos e conseguimos nos posicionar melhor no mercado. Hoje, somos acelerados pela incubadora da Fiep”, conta Camargo.

A EdukaMaker é uma empresa de educação e cultura maker (o método de aprender fazendo) e tem foco na região Sul do Brasil. “O Sebrae nos ajudou a caminhar mais rápido e, há um ano e meio, trabalhamos com consultorias do Programa, para que outras empresas possam ter sucesso e contribuindo para a evolução do ecossistema de inovação”, acrescenta Henrique Camargo.

A ServoFiel Tecnologia, de Dois Vizinhos, contou com apoio do Programa de Startups para ganhar o mercado nacional. A empresa desenvolveu uma solução inédita para o setor religioso: a maquininha de cartão para pagamento de dízimo, denominada Dízimo Fiel. Rosangela Nonemacher, diretora comercial da ServoFiel, comenta sobre as vantagens do suporte do Sebrae/PR.

“A integração tem contribuído de diversas maneiras. O fomento via Sebraetec (programa de incentivo à inovação) e editais impulsionou a empresa em momentos críticos, que fizeram a diferença para seguir em frente”, revela Rosangela.

Atualmente, a ServoFiel atua em 17 Estados e se prepara para lançar um novo produto em forma de aplicativo para dispositivos móveis, na Conferência Nacional dos Bispos da Igreja Católica, em Aparecida (SP), em maio próximo.

A D’7 é uma das mais recentes startups a surgir em Pato Branco, com o desenvolvimento de aplicativo para consultas com pediatras. A ideia do médico Júlio César Pereira Dias saiu do papel em apenas dois meses, no ano passado. “O Programa auxiliou com consultorias especializadas e, a partir daí, demos os andamentos conforme a estratégia definida. Se não fosse o Sebrae, eu estaria sem foco, sem rumo e talvez não tivesse desenvolvido a startup”, admite.

O pediatra observa que está contando com as orientações do Sebrae/PR para este ano.
“Já tivemos três consultorias com eles, com bom direcionamento, para não perdermos o foco e termos a oportunidade de alavancar e projetar nossa startup no mercado”, finaliza Júlio Dias.