Um projeto de extensão desenvolvido desde 2014 pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), câmpus de Francisco Beltrão, vêm capacitando merendeiras e auxiliares de serviços gerais do município em vários aspectos que envolvem a higiene de alimentos e a segurança alimentar. A qualidade e relevância do trabalho foram reconhecidos e premiados como uma Experiência Bem Sucedida na Área de Higiene de Alimentos durante o VIII Congresso Latinoamericano de Higienistas de Alimentos em Fortaleza, no Ceará.

O primeiro lugar foi conquistado com o trabalho que é de prática social, inovador, relacionado a alimentação e saúde pública, com enfoque na temática do congresso e que está implantado e traz benefícios para a sociedade com reflexo na qualidade de vida.

Para a professora Andréa Cátia Leal Badaró, idealizadora do projeto, mais importante que a premiação recebida e a vantagem em apresentar o projeto como uma das “Experiências Bem Sucedidas” neste importante evento da área de Segurança dos Alimentos, é a divulgação do trabalho. “O reconhecimento, a valorização em relação à melhora da qualidade dos alimentos fornecidos pela alimentação escolar do município e consequentemente a contribuição com a qualidade de vida da população é o que nos motiva”, destacou Andréa.

O projeto de extensão é desenvolvido pela UTFPR em parceria com a Unioeste e Prefeitura Municipal. Participam ainda a acadêmica de Tecnologia em Alimentos, Cristina Dalmora Zavaschi e de Engenharia de Alimentos, Thayná Oliveira. As servidoras da Prefeitura, Andréa Nesi Wessler e Joelen Raiana Favaro Ries e o professor da Unioeste, Anilton Nunes dos Reis.

 

Professora Andréa com as merendeiras durante o seminário que faz parte do projeto / Foto: Assessoria
  • Compartilhe no Facebook

Professora Andréa com as merendeiras durante o seminário que faz parte do projeto / Foto: Assessoria

O projeto

A alimentação na infância é um dos principais fatores de promoção do crescimento e desenvolvimento do indivíduo e com isto, dentre outros, a qualidade do que se fornece nas escolas é importante. Foi pensando nisso que o grupo desenvolveu três diferentes projetos para contemplar esta questão.

Em um deles foi trabalhado diretamente com os produtores familiares de laticínios, produtos cárneos, panificados e hortifrutigranjeiros, já que eles são responsáveis por 83% da matéria-prima fornecida. Em outro viés são promovidos seminários com as merendeiras e auxiliares de serviços gerais, abordando os mais diferentes temas relacionados à qualidade dos alimentos como higiene e sanitização do ambiente, higiene e sanitização de frutas e hortaliças, microbiologia de alimentos, qualidade da matéria-prima, do processamento e do produto final, elaboração de alimentos com redução de sódio, gorduras e açúcares, elaboração de alimentos alternativos à base de leguminosas, em especial o feijão.

O grupo fez ainda com um diagnóstico das condições higiênico-sanitárias de todas cozinhas das creches e escolas do município, com a elaboração e aplicação de Manuais de Boas Práticas e Procedimentos Operacionais Padrão e a realização de Curso de Boas Práticas de Fabricação para todas agentes de alimentação escolar.