Nesta quarta-feira (4), professores e funcionários da rede estadual de ensino do Paraná decidiram encerrar a greve da categoria que iniciou na segunda-feira (2). De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores de Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), a categoria protestava contra a proposta de de reforma da Previdência estadual e também reivindicavam a manutenção do Ensino Médio noturno e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A Secretaria Estadual da Educação, anunciou o remanejamento de vagas do período noturno do ensino médio em escolas estaduais para o período diurno no dia 20 de novembro. A mudança deve começar a valer no ano letivo de 2020. Segundo o Governo do Paraná, o principal motivo do remanejamento das vagas é a taxa de evasão escolar. Em 2018, a taxa foi de 3,6% para alunos do período diurno, e 17,6% nas turmas da noite, de acordo com a gestão.

A equipe de reportagem da Rádio Onda Sul FM conversou com Eliane Figura, presidente APP Sindicato de Francisco Beltrão. Segundo ela, foi feita uma boa avaliação na Assembléia, mas que vão ficar de prontidão a novos ataques do governo. “Nós fizemos uma boa avaliação na nossa assembléia, definimos pelo encerramento desta greve, mas ficamos em prontidão sobre novos ataques do governo, principalmente no que diz respeito ao fechamento de escolas, a não aberturas de turmas no ensino médio noturno, o fechamento de turmas também no próprio período diurno, porque quando o governo fala que vai aumentar as vinte mil vagas no período diurno isso significa que ele está fechando então, essas vinte mil vagas no período noturno, porque não nascem vinte mil crianças e chegam ao ensino médio de uma hora para outra. Então isso é muito ruim para os nossos jovens que infelizmente ao mesmo tempo que estão estudando, precisam trabalhar”.

Eliane, alerta para que os pais e responsáveis denunciem se acaso vier a acontecer o fechamento de turmas ou turno das escolas onde os filhos estudam. “Então a gente pede ao pais e as mães, se acaso alguma escola tenha a sua turma fechada, ou algum turno fechado, ou primeiro ano do ensino médio noturno ou alguma turma do ensino médio noturno que não esteja sendo aberta, devem fazer a denúncia junto a nós sindicato e junto ao Ministério Público também”.

Confira o áudio da entrevista na íntegra: