Aproximadamente 40 professores participam desde a última quarta-feira (16) do curso de formação específica para multiplicadores da metodologia do programa Jovem Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) a ser aplicado nas escolas municipais de Palmas, sul do Paraná, neste ano. As atividades, que seguem até esta sexta-feira, estão sendo coordenadas pela consultora do SEBRAE/PR, Maristela Valdameri na Escola Oscar Roecker visando instituir a política da educação para o Empreendedorismo na educação básica do município.

A proposta de implantação do JEPP surgiu do Projeto: Contribuir Para Despertar do Espírito Empreendedor nos Jovens do Município de Palmas, construído durante a formação da Escola de Líderes para o Desenvolvimento, que posteriormente tornou-se lei municipal.

12442754_1575687899409046_537954932_n
  • Compartilhe no Facebook

Consultora do SEBRAE/PR.

Conforme a Instrutora da metodologia nesta formação docente, o JEPP permitirá às crianças perceberem os diferenciais e oportunidades existentes em todos os campos da vida social do município. “O programa prevê que em cada etapa sejam abordados temas adequados às diversas faixas etárias e trabalhará basicamente os comportamentos empreendedores, estimulando o desenvolvimento das crianças e o planejamento das ações  para que as metas estabelecidas pelos próprios alunos sejam atingidas”, explicou. Avaliou que a partir dos conteúdos em sala de aula, as crianças tornam-se protagonistas de sua vida e construtores de sua própria história.

Para professora Jacira Moraes, participar da formação para o JEPP é um aprendizado importante para a atividade profissional do magistério como forma de investir no futuro dos alunos. “Essa formação veio acrescentar para nós”, disse ela.

Outra participante, prof. Rélli Martins, manifestou orgulho de ter sido indicada para essa formação docente. “Agora está em nossas mãos e, acreditando nisso, vamos fazer a diferença”, destacou. Ao avaliar sua participação na formação, prof. Marici Bueno, enfatizou que o JEPP permitirá que as crianças vivenciem práticas não possíveis até então.