Mesmo com avanços registrados pelas escolas municipais no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), o Departamento de Educação de Palmas, Sul do Paraná, demonstra preocupação diante de uma série de aspectos que envolvem a alfabetização e escolarização das crianças do município.

Para o professor Claudio Lombardi, diretor da pasta, as avaliações devem ir muito além dos índices levantados pelo Governo Federal. Um dos pontos destacados por ele é o fato de que a cada edição do Ideb, uma escola deixa de atingir as metas estabelecidas pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). “Por exemplo, em 2007 todas as escolas bateram a meta. Em 2009, uma não atingiu. Em 2011, duas não atingiram. Em 2013, três e em 2015, quatro. Mesmo com essa queda no número de escolas que atingem as metas, o nosso Ideb geral continua subindo, mas precisamos reverter esse quadro”, aponta.

O departamento, através de seus vários setores, realizou um levantamento de todos os pontos que tem reflexos no Ideb e que deverão receber atenção especial por parte da administração municipal. Conforme Lombardi, um dos fatores que influenciam nos índices é a metodologia de ensino nas escolas.

Sobre essa questão, a pedagoga Berenice Silveira aponta que um dos trabalhos que já está em andamento, mas que ainda não foi efetivado, é o planejamento em rede. “Esse trabalho será feito por todos os professores, juntando a rede municipal. Nós vemos que atualmente o planejamento não é igualitário entre as escolas e percebemos que uma boa parcela dos nossos alunos são nômades, mudando frequentemente de escolas. Assim, com esse novo planejamento, quando nosso aluno mudar de instituição ele não perderá conteúdo, seguindo o mesmo desenvolvimento dos demais estudantes”, comenta.

Ainda dentro do processo de ensino-aprendizagem, Silveira destaca a atuação da família no combate à evasão escolar e no incentivo e participação da vida escolar das crianças, situação que deve ser levado para discussão de toda a sociedade. Outra preocupação exposta pela pedagoga é o aumento significativo no número de alunos enviados para salas de recursos. “Há de se fazer uma investigação para sabermos o que está acontecendo. Se ele está na sala de recurso é porque ele foi avaliado por uma equipe e é comprovado que ele tem uma dificuldade um pouco maior, mas precisamos fazer uma investigação urgente para entendermos porque tem crescido o número de alunos que precisam desse apoio.”, salientou.

Avaliações de desempenho por turma também deverão ser realizadas pelo departamento a partir dos próximos anos, avaliou professor Lombardi, dentro do levantamento realizado, além do fortalecimento da pré-escola e das melhorias na estrutura física das escolas municipais e dos materiais didáticos ofertados aos alunos.

O diretor do departamento de educação anunciou que a última atividade de sua gestão será a transição para o próximo gestor público. Segundo Lombardi, uma série de modificações ocorreram no setor educacional do município, uma delas a elevação de departamento para secretaria municipal. Informou que dentro dos trabalhos finais de 2016 estarão sendo realizadas reuniões com os diretores das escolas municipais, para discussão dos resultados do Ideb, já preparando ações para o próximo ano.

Informou que no mês de janeiro será realizada uma prestação de contas, com todos os setores da educação, onde serão repassados todos os dados do segmento para o novo prefeito e sua equipe de governo. “Desta forma, tanto a comunidade como o novo prefeito, terão um diagnóstico de como está o setor e para que haja a continuidade do trabalho, porque a educação não pode parar”, salientou Lombardi.