Servidores estaduais seguem em mobilização na capital do Estado, contra a proposta de reforma da previdência estadual. Nesta terça-feira (03),  inconformados com o fato do presidente da Casa, deputado Ademar Traiano (PSDB), só autorizar a entrada de 250 pessoas nas galerias do plenário para acompanhar a sessão, eles entraram em confronto com policiais militares do Batalhão de Choque, que isolaram a sede do Legislativo na tentativa de impedir o acesso dos manifestantes. Na noite de ontem, a Justiça concedeu liminar determinando a desocupação da Assembleia Legislativa pelos servidores públicos.

Ainda durante a terça-feira, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que altera as regras da Previdência estadual foi aprovada na comissão especial da Assembleia. Ao todo, 65 emendas foram apresentadas e 35 delas foram acatadas pela comissão. Com a aprovação do parecer, o projeto pode ir a plenário para ser votado pelos deputados.

A perspectiva é que a sessão plenária desta quarta-feira (04), seja realizada na Ópera de Arame, onde ocorrerá a votação da proposta da reforma da previdência estadual.

De acordo com a APP-Sindicato, dos colégios estaduais de Palmas, cinco estão totalmente fechados:

Sebastião Paraná – fechado
Alto da Glória – fechado
Monsenhor – fechado
Escola Paulo Freire – fechado
Escola Indígena- fechada
Padre Ponciano – 85% parado
Dom Carlos – 85% parado
APAE – não parou
Colégio Quilombola – não parou

Foto: APP-Sindicato