Em Assembleia Legislativa, nesta sexta-feira (9), o governo do Paraná protocolou o novo projeto da data-base do funcionalismo. O índice do reajuste aos servidores é 5,08%, com aplicação de uma parcela de 2% em janeiro de 2020 e mais duas parcelas de 1,5% em janeiro de 2021 e janeiro de 2022.

Ou seja, a proposta altera datas e percentuais em relação ao texto original, conforme acordado com representantes dos servidores no mês passado. Entretanto, o governo afirma que a proposta é extremamente técnica e coerente com a situação econômica do estado.

Segundo a administração estadual, a data-base vai gerar um impacto de R$ 2,1 bilhões na folha do Executivo até 2022.

Além disso, o governador Ratinho Júnior ainda declarou que houve um esforço para adequar os índices aos pedidos dos servidores. As parcelas de outubro e março, indicados na proposta inicial, acabaram se tornando uma única parcela, de 2%, em janeiro.

“Constatamos que o histórico dos últimos cinco anos nos traz a obrigação de sermos guardiões rigorosos do controle e do equilíbrio das contas públicas. O governo do Paraná não pode tomar qualquer atitude ou decisão que contrarie essa necessidade”, afirmou Ratinho.

O reajuste de 2% vai representar um aumento de R$ 400 milhões na folha de pagamento do Executivo em 2020. São R$ 15 milhões a mais do que o projetado no texto anterior.

Assessoria