Aproximadamente 18% dos estudantes do ensino médio que iniciaram o ano letivo em 2016, já haviam abandonado as escolas estaduais em Palmas, sul do Paraná, até meados de novembro. Os dados são da documentação escolar local e foram divulgados pelo Diretor da Rede Bom Jesus, Ademilson Mensor, durante seu comentário na Rádio Club AM, quando manifestou preocupação com os altos índices.

O estabelecimento com maior percentual de evasão é o Colégio Dom Carlos, com 28,4%, seguido do Padre Ponciano com 20,3%. O menor índice de desistência verifica-se no Colégio Estadual Quilombola Maria Joana Ferreira, com 7,42%.

No município há seis escolas estaduais no perímetro urbano com aproximadamente 1.200 estudantes matriculados, sendo que destes pelo menos 200 deixaram a escola neste ano. Há outras duas escolas de ensino médio: Paulo Freire, no Assentamento Paraíso do Sul e Segso Tanh Sa (Gralha Azul) na Terra Indígena Kaingang, que não foram contabilizados no levantamento.
Monsenhor Eduardo – 19%
Dom Carlos – 28,4
Maria Joana Ferreira – 7,42%
Alto da Gloria -19,1%
Sebastião Paraná – 13%
Padre Ponciano – 20.3%
Média evasão 18%.

Em Palmas, o último levantamento da Taxa de Conclusão mostra que em 2010 apenas 26,6% dos estudantes de Palmas que foram matriculados concluíram seus estudos. Em 1991, apenas 11 a cada cem matriculados concluíram o Ensino Médio.

Conforme a Coordenadora Pedagógica do Núcleo Regional de Educação,  Mariangela Viana, o maior índice de abandono ocorre entre os alunos do período noturno que pela necessidade de trabalhar durante o dia não conseguem conciliar as duas atividades e desistem de ir para a escola. Além disso, há os que optam em trabalhar a estudar. Outro motivo que interfere consideravelmente na frequência escolar é o alto índice de gravidez, onde estudantes preferem não dar sequência aos estudos.

Informou que para tentar amenizar a situação da evasão é realizado desde 2013 um trabalho em rede através do Ministério Público, Conselho Tutelar e Secretaria Estadual de Educação. Também pelo Comitê do Programa de Combate ao Abandono Escolar, com representantes de várias áreas, é realizando um diagnóstico e tomadas as providências para que haja o retorno dos alunos. Explicou que a iniciativa funciona muito bem com resultados positivos, embora em alguns municípios não está ocorrendo como previsto e programado.