Depois de 23 dias de paralisação, professores e funcionários administrativos da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), decidiram suspender a greve retomando as atividades nesta segunda-feira (12). As atividades na universidade estavam suspensas desde o dia 22 de julho quando as categorias recusaram a proposta de pagamento da data-base oferecida pelo Governo.

Na última sexta-feira (9), o governo protocolou o novo projeto da data-base do funcionalismo. O índice do reajuste aos servidores é 5,08%, com aplicação de uma parcela de 2% em janeiro de 2020 e mais duas parcelas de 1,5% em janeiro de 2021 e janeiro de 2022. Ou seja, a proposta altera datas e percentuais em relação ao texto original, conforme acordado com representantes dos servidores no mês passado. Entretanto, o governo afirma que a proposta é extremamente técnica e coerente com a situação econômica do estado.

  • Compartilhe no Facebook

João Paulo Rocha, presidente da Associação dos Agentes Universitários da Unioeste de Francisco Beltrão

Atendendo as exigência do governador, o calendário acadêmico da universidade não foi suspenso, com isso os contratos dos professores temporários poderão ser renovados, uma vez que o governador já havia autorizado, no dia 29 de julho, a contratação de horas para professores temporários. Na Unioeste Campus Francisco Beltrão, são aproximadamente 60 professores temporários, sendo que a metade terão seus contratos renovados até o final de 2019.

João Paulo Rocha, presidente da Associação dos Agentes Universitários da Unioeste de Francisco Beltrão, enviou um áudio para a Rádio Onda Sul FM, explicando sobre a nova proposta do governo e reposição das aulas na Universidade, para que os alunos não sejam prejudicados. Confira: