Um dos diferenciais que a UTFPR de Francisco Beltrão oferta para seus alunos é o programa de Dupla Diplomação. Com ele os estudantes podem participar de um processo de seleção, ingressar em universidades parceiras e receber diplomas válidos em ambos. No próximo mês, três alunas da Engenharia Ambiental embarcam para Portugal para estudar no Instituto Politécnico de Bragança (IPB). Há também o aluno da Engenharia Química, Leonardo Vanin, que já chegou na França onde iniciou curso de francês antes do início das aulas na Université de Technologie de Compiègne (UTC). Ao concluir os requisitos o diploma de engenheiro será válido tanto no Brasil como em todos os países da União Europeia.

O coordenador do curso de Engenharia Ambiental, Wagner de Aguiar, destaca a importância do contato com outras instituições de ensino para a formação profissional. Há oportunidade de conhecimentos de metologias de ensino, conteúdos e problemas aplicados à prática ambiental totalmente diferentes dos apresentados pelo cenário nacional brasileiro. “A formação profissional destes alunos é ainda mais abrangente e com maior compreensão das expectativas globais sobre a necessidade de desenvolvimento socioeconômico sustentável. Isso favorece a atuação das profissionais em grandes corporações ou organizações governamentais sintonizadas com as exigências de cuidados ambientais globais”, destaca Aguiar.

  • Compartilhe no Facebook

Leonardo Vanin na Catedral Notre-Dame de Amiens aproveita o tempo livre para conhecer lugares históricos e culturais. Foto: Divulgação.

Antes mesmo de realizar a inscrição para a dupla diplomação o estudante da Engenharia Química, Leonardo Vanin, já estava se preparando com as aulas de francês gratuitas que a UTFPR oferta no Centro Acadêmico de Línguas Estrangeiras Modernas (Calem). “É uma oportunidade incrível sair com dois diplomas, conhecer uma cultura e uma língua totalmente nova e além de tudo a chance de conhecer diversos lugares na Europa”, comenta o estudante que já está na França.

IPB

Uma das alunas da Ambiental que embarca no início de setembro é a Ana Paula Ranzan. “Eu resolvi participar pois foi na Europa foi onde se iniciou a conscientização da importância de preservar o meio ambiente, e lá são desenvolvidas e aplicadas a maior parte das pesquisas e inovações voltadas para essa área. Além disso, é uma oportunidade também para crescimento pessoal, por precisar viver longe da família, por estar em um país com uma cultura diferente e como o IPB reúne pessoas de todas as partes do mundo há uma troca cultural muito grande e possibilita aprender a conviver com as diferenças dos outros”, ressalta.

Já para Larissa de Freitas Silva, que é do Rio de Janeiro, e curso o 9º semestre na UTFPR de Francisco Beltrão, é a realização de um sonho. “A UTFPR me auxiliou em não apenas ter o conhecimento teórico, mas também prático e me fez amar mais ainda essa área de atuação. Somado a isso, a UTFPR possui professores qualificados e atenciosos que nos incentivam e procuram ampliar a visão dos alunos, mostrando que podemos ir além do que aprendemos na sala de aula”, conta a estudante que está recebendo o apoio dos pais e da irmã durante o processo.

Laís Serafini está ansiosa pelo embarque. “Ter uma chance de estudar fora, conhecer lugares novos e até mesmo andar de avião pela primeira vez. Será uma experiência incrível, muito além do diploma”, finaliza.

Fonte: Assessoria.