Escolher um candidato e votar na pessoa que tenha as melhores propostas para representar os alunos. Com pensamentos nessa linha, estudantes da Escola Municipal Tancredo Neves, localizada em Chopinzinho, no sudoeste do Paraná, votaram na última quinta-feira (17) para eleger o Prefeito Mirim da escola.

 

Não jogar comida no chão, trabalhar para uma escola feliz, ajudar uns aos outros. Propostas de campanha criadas pelos candidatos que concorrem ao cargo. A disputa conta com duas chapas. O grupo dos meninos representado pela cor azul e das meninas com a cor rosa. A candidata Carolina Correia diz que todos aprendem com a disputa, “foi bem legal porque tudo mundo vai aprender as coisas que a gente está fazendo. Ter boas maneiras na escola, respeitar uns aos outros, ouvir o professor”.

 

A campanha faz parte do Projeto “O resgate da cidadania através do voto”. Criado há dois meses têm o objetivo de resgatar os valores de exercer a cidadania.

 

 

Para o Professor Ademir Machado de Melo, criador do projeto, a ideia surgiu após analisar o número expressivo de pessoas que não votaram na última eleição. Dados do Tribunal Regional do Paraná, nas eleições de 2012, em Chopinzinho, 2.335 eleitores não compareceram. “Trabalho nas eleições e estou vendo as pessoas cada vez em maior número deixando de ir votar. Surgiu essa preocupação de não terem mais aquela vontade de votar. Pensando nisso resolvi fazer o projeto para conscientizar as crianças da importância de praticar este ato de cidadania”.

 

A votação realizada no dia 17 de outubro, contou com estrutura de uma eleição oficial, com direto a urna eletrônica, mesários e cada aluno tinha seu título de eleitor, “formulamos o título de eleitor para todos, eles tiveram que guardar o documento até o dia da eleição, a responsabilidade de vir votar. Conversando com eles, a gente viu que eles entenderam o verdadeiro sentido da eleição”. Comenta Melo, enquanto se formava a fila dos alunos do segundo ano para votar.

 

 

Engana-se quem pensa que as crianças escolheram qualquer chapa, ou apenas votou por votar. As propostas e postura dos candidatos foram decisivas para a eleição. Pensado em propostas que beneficiem o coletivo foi fundamental para que o aluno, Cristofer Sávio Santiago definisse seu voto, “achei as propostas mais legais do que da outra chapa. Essa chapa pensou na escola toda e a outra pensou só na sala de aula”.

 

Votando pela primeira vez a estudante do quarto ano, Grabrieli Oliveira fala sobre a facilidade de utilizar a urna eletrônica, “é difícil no começo. Acho que se você for votar errado não sabe como faz, mas na hora que vai votar você vê que é bem facinho”.

 

Incentivar a criança a participar do pleito eleitoral é ensinar os deveres do cidadão, segundo comenta a professora Giovana Borga, “é bem importante porque a criança vai tomando consciência dos seus deveres, direitos como pessoa”.