A segunda rodada de pesquisa para compreender os impactos econômicos causados pela pandemia da Covid-19, demonstrou que o cenário mais pessimista da primeira pesquisa não se confirmou na região Sudoeste do Paraná. O risco de fechamento de empresas diminuiu, por exemplo. O levantamento através de plataforma online pela Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Sudoeste do Paraná (Cacispar) e Sebrae/PR junto as associações empresariais afiliadas em 32 municípios da região avaliou 937 respostas do comércio(59%); serviços(27%) e indústria(8%).

O presidente da Cacispar, Carlos Manfroi, observa que cenário atual não confirmou as expectativas da primeira rodada. “A pesquisa anterior pintava um cenário bem pior. Em abril, 63% responderam que tinham a previsão de demitir. Daquele contexto, 28% efetivamente reduziram o quadro de colaboradores (entre março e agosto de 2020) e 19% preveem demissões nos próximos três meses, se o atual cenário continuar. Analisando os últimos 90 dias e as previsões, as demissões serão em menor número do que se temia, causando impacto menor na economia da região”, analisa Manfroi. Conclui que os resultados não são positivos, mas que demonstram que alguns setores conseguiram ter continuidade, apesar da pandemia.

Números da pesquisa
– 54% das empresas tiveram redução no faturamento nos últimos três meses (em comparação ao mesmo período de 2019).
– 28% das empresas reduziram o quadro de colaboradores (entre março e agosto de 2020); 63% tinham previsão de demitir, em abril.
– 19% preveem demissões nos próximos três meses, se o atual cenário continuar.
– 83% das empresas possuem risco baixo ou inexistente de fechar; no cenário de abril, 50% das empresas apresentavam risco de moderado a alto de encerrar os negócios.
– 39% das empresas precisaram tomar crédito nos últimos três meses
– 34% das empresas deverão buscar financiamento nos próximos 90 dias; na pesquisa passada, 62% informaram que teriam que pegar empréstimos.
– 27% das empresas informaram inadimplência superior a 11%, 41% das empresas com inadimplência até 10%.
– 28% das empresas utilizaram programas governamentais, como Pronampe, Fomento Paraná e MP do Emprego, entre outros.
– 62% das empresas perceberam mais de quatro novas oportunidades no período da pandemia.

O gerente da Regional Sul do Sebrae/PR, Cesar Giovani Colini, analisa que a economia regional está se recuperando, aos poucos, em um momento de recessão mundial. O gerente regional do Sebrae/PR destaca ainda que oi possível verificar algum otimismo por parte do empresariado. “A maioria não buscou crédito nem aderiu a programas governamentais, em uma demonstração da confiança e saúde financeira de boa parte dos negócios no Sudoeste.” salienta. Fonte: Assessoria de Comunicação Cascispar