Criar um novo Parque Industrial e investir R$ 1,5 milhão para a construção de novos barracões industriais, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para o crescimento da economia local, através de produção, emprego e renda.Essas são metas  do Departamento de Indústria e Comércio de Palmas, que constam do relatório apresentado nessa semana, com dados referentes aos trabalhos realizados no primeiro semestre de 2013 através de ações diretas e de órgãos vinculados, como a Agência do Trabalhador e Procom, Junta Comercial.

Conforme o Diretor, Antonio Plates de Oliveira, a preocupação central do departamento é  fomentar ainda mais o setor secundário e trazer novas opções de trabalho para a população.  Salientou que o órgão vem buscando estabelecer parcerias com proprietários de barracões que hoje estão vagos, para que o município pague aluguel para permitir novos empreendimentos industriais.

 

EMPREGO

Já em relação ao setor de empregos, o Departamento aponta que via Agência do Trabalhador, 23 novas empresas solicitaram auxílio do Sistema Nacional de Empregos (SINE) para a intermediação de mão de obra. No período foram ofertadas 1380 vagas e com 1082 trabalhadores inscritos, sendo que destes 662 foram contratados.

PROCOM

O Procon realizou 1180 atendimentos pessoais e 335 por telefone, o que totaliza 1514 atendimentos no primeiro semestre de 2013. Foram emitidas 1160 carteiras de trabalho e 1229 carteiras de identidade.Já a Junta Comercial realizou um total de 1213 atendimentos.

 O Chefe de Divisão de Fomentom Felipe Zanoello, explica que para o segundo semestre, a meta é amplia a constituição de novas empresas e do Micro Empreendedor Individual.  Conforme ele,  no primeiro semestre foram constituídas 186 novas empresas, sendo 64 de Micro Empreendedor Individual (MEI).

“O trabalhador que atua de maneira informal e pretende ter um alvará que procure o Departamento de Indústria e Comércio, pois esta formalização, além de ser sem custas também abre a possibilidade de crédito facilitado ao empreendedor”, explicou Zanoello.